Servidores recusam reajuste de salários em 11% e projetam greve em Guará

Da Redação
Guaratinguetá

A proposta de reajuste em 11% no salário dos servidores municipais, feita pela Prefeitura de Guaratinguetá, foi imediatamente descartada pelo Sindicato dos Servidores. Caso não haja acordo entre as partes, os trabalhadores cogitam uma manifestação, no próximo dia 9 e uma paralisação das atividades.
Em fevereiro, o sindicato se reuniu com o prefeito de Guaratinguetá, Francisco Carlos Moreira (PSDB). Na ocasião, o executivo apresentou a proposta de reajuste em 11% e o aumento do valor do cartão de alimentação, de R$ 200 para R$ 250. Porém, ambas as sugestões foram rebatidas. A pedida do Sindicato era de 15% no valor do salário e uma elevação para R$ 500 no crédito do cartão alimentício. As partes não chegaram a um acordo.
Os sindicalistas realizaram uma assembleia excepcional na última quinta-feira, um dia após o prazo oferecido pelo Executivo ter expirado, e os trabalhadores voltaram a rebater as propostas. Nesta sexta-feira, o sindicato encaminhou contrapropostas para a Prefeitura, afim de viabilizar as melhorias sugeridas. A administração municipal terá até a próxima semana para aceitar ou descartar os pedidos, antes de encaminhar o requerimento para a Câmara Municipal.
O grupo de servidores municipais voltará a pedir 15% de reajuste, além de benefícios trabalhistas, como pagamento de horas extras e redução do valor de desconto do cartão alimentação.
Atualmente, o trabalhador recebe o cartão com R$ 200 de créditos. Desse total, 60% do valor é descontado do funcionário, que acaba desembolsando R$ 120 e ganhando apenas R$ 80. O sindicato encaminhará uma proposta para que o desconto seja de 50%.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?