Secretária confirma déficit de professores efetivos, mas nega falta de material em Guará

Elisabeth Sampaio aborda dificuldades na rede municipal, mas garante que alunos não ficaram sem aulas

A secretária Elisabeth Sampaio aborda ações da pasta em projeto voltado à rede municipal de Educação; Câmara debateu reclamações de pais e professores na cidade (Foto: Reprodução CMG)
Elisabeth Sampaio aborda ações da pasta em projeto voltado à rede municipal de Educação; Câmara debateu reclamações (Foto: Reprodução CMG)

Leandro Oliveira
Guaratinguetá

“Não existe aluno sem aula!” e “Não existe falta de material!” Essas são duas das afirmações da secretária de Educação de Guaratinguetá, Elisabeth Sampaio, durante sabatina na Câmara. Realizado no último dia 18, o encontro contou com a presença de pais e professores e teve resultado satisfatório para os vereadores.

Professora, Elisabeth foi convidada para esclarecer situações ligadas à pasta e às reclamações sobre faltas constantes de professores na rede municipal de ensino e déficit no material didático distribuídos aos alunos.

A secretária, uma das poucas remanescentes que estão à frente de uma pasta desde o início do governo Soliva, detalhou as ações feitas pelo setor.
Questionada pelo Jornal Atos sobre as reclamações de faltas de professores, Elisabeth Sampaio negou que haja casos de alunos sem aulas, mas afirmou que faltam professores efetivos. “Trouxemos a planilha pronta. Não existe aluno sem aula. O que está faltando é professor efetivo. Como vocês viram, 50 assumiram e pediram demissões a 10, 15 dias. São pessoas de outras cidades. Mas realmente o aluno não está sem aula. Ele tem aula com professor eventual, substituto”.

Sobre os materiais didáticos, a secretária negou problemas com a distribuição. “Não existe falta de material. Ele estava em cima da mesa, para que todos vissem. Material, uniforme, estão todos aí e o centro de distribuição está cheio”, enfatizou.
O presidente da Câmara, Marcelo Coutinho, o Celão (PSD), afirmou que a sessão foi esclarecedora. “A informação oficial trazida pela secretária de Educação nos deixou satisfeitos com essa questão da atuação da secretaria. É óbvio que dentro de um universo de 12 mil alunos, impossível ser unanimidade”.

Essa foi a primeira sessão especial realizada sobre Educação na gestão Soliva. Debates sobre o tratamento de esgoto, a alta complexidade nos atendimentos de saúde e a manutenção da iluminação pública foram feitos nos últimos anos. Na última semana, a direção do Hospital Frei Galvão participou de uma sessão sobre os atendimentos do Pronto Socorro. Após o encontro foi confirmado o convite à secretária de Saúde, Maristela Macedo, para debater a assistência básica.

 

 

Um comentário em “Secretária confirma déficit de professores efetivos, mas nega falta de material em Guará

  • 30 de abril de 2019 em 22:05
    Permalink

    Falta professor na rede municipal? Ora, é fácil saber o porque, quem é louco o suficiente para se matar 3, 4 ou 5 anos estudando em uma faculdade, seja ela de Pedagogia, Educação Artistica, ou outra licenciatura qualquer, para receber um salário baixo, não ter fetramentas adequadas, e ainda por cima, aguentar por até 10 horas por dia, falta de educação e respeito dos alunos, e não poder agir ou reagir, à agressões verbais, e até psicologicas. Realmente hoje em dia, é impossivel ser professor!

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

× Como posso te ajudar?