Santuário Nacional corta auxílio a obras sociais de Guaratinguetá

Duas creches do município podem ser assistidas pela Prefeitura em 2021; secretaria de Educação garante que Município “quer a gestão”

A creche São Pedro, uma das unidades custeadas pelo Santuário que não terá mais o investimento no próximo ano (Foto: Reprodução)

Leandro Oliveira
Guaratinguetá

O auxílio do Santuário Nacional de Aparecida, que ajuda a manter as atividades em duas creches de Guaratinguetá, não chegará mais às diretorias das unidades a partir de 2021. Essa foi a informação repassada pela Basílica, atingindo em cheio o planejamento das unidades São Pedro, na Nova Guará, e Nossa Senhora de Lourdes, na Vila Brasil.

A informação inicial era de que o corte seria imediato e cerca de vinte funcionários, entre psicólogos, professores e coordenadores, já teriam sido dispensados, já que os valores do repasse custeiam o funcionalismo. Em contato com as coordenações das duas obras sociais, foi informado que as aulas e atividades continuam sendo aplicadas à distância, e que as demais informações seriam respondidas apenas pelo Santuário Nacional, responsável pelas obras.

Procurada pela reportagem do Jornal Atos, o Santuário encaminhou uma nota em que confirma o fim do custeio das duas unidades. “O Santuário Nacional informa que, em virtude de uma reorganização administrativa, as obras sociais filiais São Pedro e Nossa Senhora de Lourdes não estarão mais sob sua administração em 2021”, decretou.

De acordo com a Igreja, existe uma negociação aberta com a Prefeitura para que a administração pública municipal gerencie as duas creches. “… com o compromisso do Santuário Nacional em manter o aporte financeiro que sustenta parcialmente as atividades dos locais de modo que, quando o retorno das crianças aos espaços for permitido, todas possam continuar sendo atendidas”.

O Santuário lembrou que a Prefeitura já contribui financeiramente com a manutenção das atividades.

A secretaria de Educação confirmou que pretende assumir as gestões. “Estamos aguardando parecer do jurídico para verificar se a Prefeitura pode assumir as duas creches. É do interesse do Município assumir, mas dentro da legalidade”.

Cerca de duzentas crianças são assistidas nas duas unidades. Os valores dos repasses e a data para encerramento do apoio do Santuário para as unidades não foram informados até a finalização desta matéria.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?