Santa Casa de Guará amplia hemodiálise com investimento de quase R$ 1 milhão

Hospital garante ampliação de 14 para 36 cadeiras para tratamento de pacientes de 17 cidades

Leandro Oliveira
Guaratinguetá

Cadeiras de hemodiálise entregues na última quarta-feira para o atendimento de 17 municípios; Guará espera maior investimento na área (Foto: Leandro Oliveira)
Cadeiras de hemodiálise entregues na última quarta-feira para o atendimento de 17 municípios; Guará espera maior investimento na área (Foto: Leandro Oliveira)

A Santa Casa de Guaratinguetá ampliou o número de cadeiras para o atendimento de hemodiálise de 14 para 36 leitos. Esse era um antigo pedido do hospital, que contou com investimento de R$ 674 mil do Governo do Estado de São Paulo. Além dos recursos repassados, o hospital investiu por conta própria R$ 254 mil. O setor de hemodiálise atende a 17 cidades do Vale do Paraíba e é referência regional.

Do total investido, R$ 351 mil foram destinados para reforma na estrutura física do hospital, enquanto o restante teve como destino a aquisição de equipamentos. As máquinas foram alugadas após parceria com uma empresa do ramo. O contrato pela locação é de cinco anos, e ao fim do acordo os equipamentos poderão ser substituídos por modelos mais atualizados.

A ampliação encerra os atendimentos do terceiro e quarto turno, que eram realizados nos períodos da noite e madrugada. Os pacientes atendidos nesses horários receberão atendimentos de manhã ou à tarde. A hemodiálise atende 88 pessoas. “A partir do dia 1, vamos incorporar 23 pacientes que eram atendidos pelo Hospital Regional de Taubaté”, afirmou o diretor administrativo da Santa Casa, João Marcos Romain.

O provedor do hospital, Caíque Pereira, explicou o que muda nos atendimentos com a ampliação das cadeiras. “Vamos poder acabar com o quarto turno daqui e trazer os pacientes que estavam no quarto turno lá (Hospital Regional). Agora fizemos essa ampliação e poderemos atender todos em dois turnos. Continuamos com capacidade, caso haja necessidade de novos pacientes, para atendermos a noite novamente”.

Os pacientes que serão transferidos para a Santa Casa são da microrregião de Guaratinguetá e Vale Histórico. A mudança de local e horário de atendimentos facilitará o deslocamento dos atendidos, que em sua maioria dependem do transporte de prefeituras. A solicitação era feita ao menos há três anos.

O vereador Marcelo Augusto (PSD) também é gerente administrativo da Santa Casa e ressaltou que o hospital vai solicitar ao Estado o aumento do teto financeiro para os atendimentos. “Nossa capacidade instalada é maior do que a questão financeira que está pactuada. Vamos batalhar com o Estado para que ele possa entender a nossa necessidade da região, e amplie o teto financeiro para que possamos atender mais pessoas”.

Na mesma linha de Augusto, a secretária de Saúde de Guaratinguetá, Maristela Macedo, confirmou que com a ampliação o hospital tem condições de atender mais setenta pacientes, além dos que já foram confirmados pela Santa Casa. Essa conta leva em consideração se os atendimentos forem prestados nos quatro turnos.

As negociações começaram há três anos. A atual secretária de Saúde de Guaratinguetá, Maristela estava à frente da Diretoria Regional de Saúde à época, e mediou as discussões. As tratativas ganharam força política com discussões promovidas na Assembleia Legislativa, encabeçadas pelo deputado estadual Padre Afonso Lobato (PV), e no Palácio dos Bandeirantes, com os governadores Geraldo Alckmin (PSDB) e Márcio França (PSB).

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?