Polícia investiga apedrejamento nas Chácaras Agrícolas

Jovem vítima de agressão teve traumatismo craniano após ataque próximo a casa de show; suspeitos não foram identificados

Leandro Oliveira
Guaratinguetá

A Polícia de Guaratinguetá investiga o caso do rapaz de 22 anos apedrejado na madrugada do último domingo. A vítima teria sido agredida por várias pessoas, próximo a um salão de festas nas Chácaras Agrícolas. A agressão ocorreu na parte baixa do bairro. O jovem foi internado com traumatismo craniano.

O crime foi cometido na antiga Rua 1 no bairro que faz parte da região do Jardim do Vale. Próximo ao local, estava sendo realizado um baile funk durante a madrugada. A Polícia Militar foi acionada duas vezes nesse período. Na primeira verificação, os militares foram até o local por conta do alto volume da música.

“A Polícia esteve no local da festa bem mais cedo, antes da meia-noite, para atender um chamado em razão do som alto. Após a chegada das viaturas, os responsáveis se comprometeram a diminuir o barulho”, contou o capitão da PM, Geraldo Nogueira.

Pouco depois das 5h, a Polícia foi acionada novamente. Dessa vez, o motivo era o crime de violência contra o jovem. “O segundo acionamento não foi para o local da festa, mas sim para o ponto da agressão. Não podemos afirmar se a pessoa estava ou não no show ou se a agressão tem relação direta com o evento. Qualquer suposição pode atrapalhar as atividades de investigação da Polícia Civil”, concluiu Nogueira.

O rapaz foi encontrado pelos militares, caído no chão e com vários ferimentos na cabeça. Ainda de acordo com o depoimento do capitão, foi prestado o devido socorro à vítima e as equipes da Polícia fizeram buscas pelos autores na região, mas a PM não encontrou nenhum suspeito.

A vítima foi socorrida pela equipe de resgate e encaminhada ao pronto socorro de Guaratinguetá. Ela deu entrada no PS em estado grave, com várias lesões na cabeça e traumatismo craniano. O rapaz é morador da Vila Brasil e trabalha como balconista. O nome do jovem foi preservado pelas autoridades.

A Polícia Militar não quis comentar sobre o que teria motivado o crime, para não atrapalhar as investigações. O caso foi registrado como tentativa de homicídio e a Polícia Civil está trabalhando para apurá-lo.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?