Oceano solicita novo reajuste da passagem em Guará para R$ 4,26

Pedido foi confirmado um dia após tarifa subir para R$ 4,10; prefeitura analisa solicitação e empresa ameaça ir à justiça se houver negativa

O movimento no principal ponto de embarque do TUG; empresa solicita novo aumento de passagem (Foto: Letícia Noda)
O movimento no principal ponto de embarque do TUG; empresa solicita novo aumento de passagem (Foto: Letícia Noda)

Leandro Oliveira
Guaratinguetá

A Comissão Tarifária de Guaratinguetá analisa um pedido de novo reajuste da tarifa do transporte público. Após ter subido de R$ 3,50 para R$ 4,10, existe a possibilidade de nova alta no valor da passagem, para R$ 4,26. A empresa Oceano havia feito o pedido em agosto e reiterou a solicitação há duas semanas.

O novo contrato entre a Prefeitura de Guaratinguetá e a empresa Rodoviária Oceano teve início no último dia 2, já com preço reajustado no valor da tarifa. Um dia depois, o secretário de Mobilidade Urbana de Guaratinguetá, Marco Antônio ‘Major’ de Oliveira, confirmou em entrevista ao Jornal Atos que o Executivo estuda o pedido da empresa.

Segundo o secretário, foi feita uma solicitação inicial pela empresa, para reajuste entre julho e agosto. A proposta foi negada pela Prefeitura na época. Quinze dias atrás a empresa Oceano reiterou o pedido, solicitando reajuste de R$ 4,10 para R$ 4,26. A Comissão Tarifária, composta por representantes das secretarias de Mobilidade Urbana, Fazenda e Administração.

“O valor de R$ 4,10 é uma previsão desde o início do edital de licitação. Nele foi colocada toda a questão do ano da frota, investimento, tudo foi referente a essa passagem para R$ 4,10. Ontem (terça-feira), houve o início do contrato e a passagem foi reajustada. Considerando que no próprio edital consta a data base de reajuste para agosto de cada ano, então, em agosto, a responsável da empresa pleiteou um reajuste referente ao valor da passagem. A pretensão era para elevar de R$ 4,10 para R$ 4,26”, destacou.

Oliveira foi indagado sobre o pedido reiterado pela Oceano há duas semanas. “Devido a reiteração por parte da empresa, estamos consultando o setor jurídico a respeito. Após a análise jurídica, retorna para a comissão e poderemos verificar a questão. De início não verificamos a possibilidade do reajuste para R$ 4,26, estamos aguardando o parecer jurídico para, posteriormente, realizarmos nova reunião para se chegar numa decisão”.

De acordo com o secretário, entre os argumentos apresentados pela empresa, para o novo reajuste, está o aumento no preço do diesel. Não há um prazo para decisão da Comissão Tarifária.

Outro lado – O diretor responsável pelas operações da concessionária, Daniel Adbdalla, atendeu o Jornal Atos e afirmou que a empresa alertou a Prefeitura sobre o edital. De acordo com Abdalla, a empresa cumpriu e está cumprindo com o edital publicado pelo Executivo. “A gente avisou a Prefeitura. Os investimentos que você colocou no edital estão subdimensionados. Não vai contemplar frota nova. Você deveria priorizar frota nova. Alertamos sobre isso. Para nós, seria muito melhor operar com frota nova. Mas a tarifa tem que remunerar a frota nova”.

Abdalla entende que os R$ 4,26 são condizentes com o cenário atual da empresa. Questionado sobre uma possível rejeição, o engenheiro respondeu. “A gente vai denunciar na justiça. Está havendo um descumprimento contratual. Então vamos buscar nas vias legais. Se esgotou as vias administrativas e a Prefeitura negou, só cabe a via judicial”, concluiu.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?