Número de mortes quase dobram em Caraguá e Cruzeiro, e Vale tem nove cidades com mais assassinatos

Mesmo com queda de homicídios, região segue a mais violenta do interior

Operação da Polícia Militar em combate ao tráfico de drogas na região; homicídios seguem alavancando índices da criminalidade na RMVale (Foto: Divulgação)
Operação da PM em combate ao tráfico de drogas; homicídios seguem alavancando índices da criminalidade na RMVale (Foto: Divulgação PM)

Lucas Barbosa
Regional

Apontada pelo Estado como a mais violenta do interior, a RMVPLN (Região Metropolitana do Vale do Paraíba e Litoral Norte) possui nove das vinte cidades com mais assassinatos nos primeiros cinco meses do ano em São Paulo. Ente elas se destacam Caraguatatuba e Cruzeiro que registraram um aumento considerável de casos no comparativo com o mesmo período de 2018.

Divulgado pela secretaria de Segurança Pública do Estado, na última semana, o levantamento revelou que a região teve 138 moradores assassinados entre janeiro e maio. Enquanto 131 foram vítimas de homicídios dolosos (quando existe a intenção de matar) outros sete perderam suas vidas em latrocínios (roubo seguido de morte).

Os dados apontaram que mesmo liderando o índice de violência, a RMVPLN obteve uma redução de quase 7% de casos no comparativo com o mesmo período de 2018, quando contabilizou 148 (140 homicídios dolosos e 8 latrocínios).

Com 17 vítimas de assassinatos, sendo 15 homicídios e 2 latrocínios, Caraguatatuba é a quarta cidade mais violenta do interior, ficando atrás somente de Campinas (59), Ribeirão Preto (23) e Sorocaba (18). O munícipio litorâneo registrou um aumento de quase 89% em comparação com a mesma época do ano passado, que foi de 9 ocorrências. Na quinta e sexta colocações aparecem São José dos Campos (15) e Taubaté (14). Dividindo a oitava posição, Lorena e Cruzeiro tiveram 12 moradores vítimas de mortes violentas. Enquanto a primeira contabilizou uma redução de 20% em relação a 2018, quando ocorreram 15 mortes, a outra enfrenta um aumento de 71%, já que anteriormente teve sete assassinatos.

O crime em Cruzeiro que gerou mais comoção ocorreu em 18 de janeiro, quando o menino João Pedro Ribeiro, de três anos, foi morto a pauladas pelo padrasto. Com a ajuda da própria mãe da vítima, o assassino enterrou o corpo em um matagal no bairro Quilômetro 4. O crime foi descoberto pela Polícia Civil dois dias depois, após parentes desconfiarem do sumiço da criança. O casal permanece preso e responderá à Justiça por homicídio qualificado e ocultação de cadáver.

Preocupada com a situação de Cruzeiro, a Câmara realizou uma audiência pública sobre segurança na última terça-feira. Contando com a presença do capitão da Polícia Militar Bruno César Assis e outros membros da corporação, o evento, além de buscar alternativas para tentar conter o crescimento de mortes violentas, discutiu também dados estaduais que demonstram reduções de 100% em latrocínios e roubos de carga.

Os roubos também tiveram uma queda de 29%, já os furtos caíram apenas 1%.

As demais cidades da região que estão entre as mais violentas do interior são Jacareí, na 11° posição e com 11 assassinatos, Pindamonhangaba na 15° posição com 9 casos e Guaratinguetá e Ubatuba, que contabilizaram 8 ocorrências, ficando empatadas na 17° colocação.

Estado – Através do Comando do Policiamento do Interior 1, a Polícia Militar emitiu uma nota oficial em que ressalta que a RMVPLN registrou em 2019 quedas em 6 dos 9 indicadores criminais no comparativo com o mesmo período do ano passado.

Levando em conta apenas os meses de maio, a corporação apontou uma redução de 39,3% em homicídios dolosos, caindo de 28 para 17 ocorrências. Já em latrocínios a queda foi de 25%, passando de 8 para 6 casos.

A PM revelou que em de maio o trabalho das polícias na região resultou em 975 prisões, um recorde histórico ao lado de 2015. Também foram apreendidas 102 armas de fogo e 242 prisões em flagrante por tráfico de drogas.

Além da realização de constantes operações na região, como a “São Paulo Mais Seguro” e “Interior Mais Seguro”, a PM destacou que a inauguração de uma nova companhia do 3° BAEP (Batalhão de Ações Especiais de Polícia), que será realizada neste sábado em Taubaté, “somará mais 119 homens para a força de trabalho no combate à criminalidade na região (trecho da nota)”.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

× Como posso te ajudar?