Motoristas denunciam posto em Guará após prejuízo em veículos

Acusações apontam que gasolina adulterada causou transtorno a trinta pessoas

Imagem postada por motorista que denunciou combustível em Guará (Foto: Reprodução)

Rafael Rodrigues
Guaratinguetá

O final de 2019 e o início de 2020 tem sido de muita dor de cabeça para mais de trinta pessoas que tiveram seus veículos danificados após abastecerem em um posto de combustíveis localizado às margens da rodovia Presidente Dutra, na altura do KM 59, na pista sentido São Paulo, em Guaratinguetá.

A suspeita é de que o local tenha vendido gasolina adulterada. As primeiras denúncias surgiram ainda no final do ano passado nas redes sociais. Um morador da cidade chegou a gravar um vídeo onde mostra que o combustível, que segundo ele teria sido comprado nesse posto, estava com uma viscosidade e coloração diferente.

É o caso da enfermeira Candice Bellini, moradora de Potim, que abasteceu o carro no posto no último dia 27. No mesmo dia o carro parou de funcionar e ela foi alertada pelo mecânico que o problema era decorrente ao uso de combustível adulterado.

Candice disse que o mecânico já havia constatado o mesmo problema em outros dois veículos que abasteceram no mesmo local. “Meu mecânico acabou constatando que o defeito no meu carro era causado pela gasolina, que tinha cor de vinho tinto, e como ele já tinha visto essa situação em outros dois carros, perguntou se eu havia abastecido nesse posto”, explicou.

A enfermeira revelou que o prejuízo acumulado até agora está na ordem de R$ 800. “Eu tive que refazer velas, bomba e filtro de gasolina, injeção eletrônica, enfim, fui até o posto e eles disseram que iam ressarcir o prejuízo, mas depois quando voltei no local já não havia mais ninguém no posto, e todo mundo havia sumido”, disse.

A promessa de reembolso também foi feita à bióloga Vanessa Lucia Ribeiro, moradora do Clube dos 500, que abasteceu seu veículo no dia 21 de dezembro. “No meu caso, ele (proprietário do posto) disse que não teria dinheiro para pagar, mas que poderia parcelar. A assistência técnica que eu levei o automóvel chegou a conversar com ele, que ficou de arcar com os custos, mas ele sumiu”, contou.

Os prejuízos, segundo relatos de motoristas, variam de acordo com estrago feito nos veículos. Vanessa conta que até agora o conserto do carro que ela usava quando abasteceu com a possível gasolina adulterada já chegou a R$ 5 mil. “Eu abasteci no dia 21 de dezembro, e depois de andar cerca de vinte quilômetros, o carro começou a perder a força e travou. Terei que fazer toda parte de cima do motor e cabeçote”, finalizou.

Após as denúncias nas redes sociais, outras dezenas de pessoas começaram a apresentar a mesma situação. Em todos os casos havia prejuízo mecânico nos veículos. Os motoristas garantem que abasteceram neste estabelecimento às margens da Dutra, em Guaratinguetá.

Depois de várias pessoas começarem a notar que o problema era semelhante e que todos tinham abastecido no mesmo lugar, um grupo de WhatsApp foi criado para que as pessoas lesadas pudessem trocar informações sobre os casos. A intenção, segundo os consumidores, é entrar com uma ação conjunta na Justiça.

A reportagem tentou entrar em contato com o proprietário do posto, mas até o fechamento desta edição não obteve resposta. Desde o último dia 5 o local está fechado. Nem mesmo o gerente do estabelecimento foi encontrado para comentar as denúncias.

 

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?