Mesmo com queda de assassinatos, RMVale segue como a mais violenta

Guará fica somente atrás de São José dos Campos em números de homicídios; na contramão, Pinda tem redução de quase 86% no primeiro trimestre do ano

Ação da Polícia Militar em homicídio na região;  (Foto: Arquivo Atos)
Ação da Polícia Militar durante atendimento de ocorrência na região; primeiro trimestre manteve índices alarmantes (Foto: Arquivo Atos)

Lucas Barbosa
Regional

Dados divulgados pela secretaria de Segurança Pública do Estado na última semana revelaram que a RMVale (Região Metropolitana do Vale do Paraíba e Litoral Norte) foi a região mais violenta do interior de São Paulo no primeiro trimestre do ano. Com um aumento de 150% de vítimas de homicídio doloso (quando existe a intenção de matar), comparado ao mesmo período de 2017, Guaratinguetá foi o destaque negativo do levantamento.

Segundo o balanço, de janeiro a março deste ano, 79 moradores da RMVale foram assassinados, e outros quatro vítimas de latrocínio (roubo seguido de morte). Apesar da liderança do “ranking da morte”, a região contabilizou uma queda de 1,25% no número de execuções, que no ano passado foi de oitenta.

A situação mais preocupante na sub-região 3, que conta com nove municípios, é a de Guaratinguetá, que passou de 4 para 10 pessoas assassinadas.

O caso de maior repercussão, ocorreu na manhã de 29 de março, no Santa Luzia. Um motociclista efetuou diversos disparos de arma de fogo contra dois irmãos, de 29 e 27 anos, que caminhavam pela estrada Rafael Américo Ranieri. O irmão mais velho morreu no local e o outro foi atingido no braço e abdômen e conseguiu sobreviver. A dupla possuía antecedentes criminais.

Apontada por um estudo do Instituto Sou da Paz como a cidade mais violenta do Estado, no ano passado, com uma taxa de 31,8 mortes por cem mil habitantes, Lorena obteve também um crescimento considerável de homicídios no comparativo entre os primeiros três meses de 2017 e 2018, dobrando de 3 para 6 casos.

Outro município em situação preocupante é Aparecida, que teve quatro homicídios neste primeiro trimestre. O número é o dobro do total de ocorrências dos 12 meses de 2017.

As cidades do Vale do Paraíba que também tiveram vítimas de homicídios dolosos de janeiro a março foram São José dos Campos (13), Taubaté (7), Cruzeiro (5), Jacareí (4), Caçapava (3), Potim (2), Canas (2), Tremembé (2), Pindamonhangaba (1) e Queluz (1).

Na trave – Pindamonhangaba foi o munícipio da região com a maior queda no número de assassinatos no comparativo entre o primeiro trimestre de 2018 com o do ano passado, passando de 7 para apenas 1 caso, uma redução de quase 86%.

Por pouco o resultado não foi ainda melhor, já que a única morte registrada não ocorreu dentro da cidade, mas sim no trecho do município da rodovia Presidente Dutra.

Em 5 de janeiro, um jovem de 21 anos morreu após ser baleado por um policial rodoviário federal durante uma perseguição.

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal, o motorista desobedeceu à ordem de parada de uma equipe no pedágio da Via Dutra, no trecho do distrito de Moreira César. Após quase quatro quilômetros de perseguição, o jovem abandonou o carro e correu para um matagal. Ao perceber a aproximação dos policiais, o individuo teria sacado um simulacro de arma de fogo. Em resposta, um policial efetuou um disparo contra o homem, que era foragido da Justiça.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>