Marcus Soliva e Frei Galvão surpreendem e devem fechar acordo por Pronto Socorro

Após mudança no hospital, terceirização avança com expectativa de acerto para os próximos dias

O prefeito de Guaratinguetá, Marcus Soliva, e a nova diretoria do Frei Galvão; acordo mais perto do sim (Foto: Leandro Oliveira)
O prefeito de Guaratinguetá, Marcus Soliva, e a nova diretoria do Frei Galvão; acordo mais perto do sim (Foto: Leandro Oliveira)

Leandro Oliveira
Guaratinguetá

O Pronto Socorro de Guaratinguetá será administrado de forma terceirizada, e após debates e polêmicas sobre contratações de OS’s (Organização Social), a gestão do PS deve ser feita pelo Hospital Frei Galvão. A negociação está avançada e a confirmação pode acontecer nos próximos dias. O investimento na terceirização será de R$ 1,35 milhão.

Atualmente, o PS está instalado anexo ao prédio do Hospital Frei Galvão. Após muita polêmica, os vereadores de Guaratinguetá aprovaram um projeto do Executivo para modificar requisitos que permitissem a contratação de uma organização social para administrar o Pronto Socorro. A aprovação foi em maio e, desde então, o município procura empresa ou organização social para gerir o PS.

Em agosto deste ano, o Instituto Axis assumiu a administração do Hospital Frei Galvão, com o intuito de revitalizar a gestão e ampliar o atendimento público. À época foi confirmado um valor total de R$ 70 milhões em dívidas do HFG. Desde então o Executivo tem se aproximado dos diretores do Instituto para negociar.

O prefeito Marcus Soliva (PSB) sacramentou que o acordo pela terceirização está próximo de ser assinado. “Provavelmente, vamos fechar de imediato, nos próximos dias, com o Hospital Frei Galvão”, afirmou. “Já recebemos a proposta do hospital e estamos analisando como será feito o encaixe dos nossos médicos concursados nesse projeto”.

Os valores, segundo o prefeito, já foram fechados. A Prefeitura investirá entre R$1,3 milhão e R$ 1,35 milhão com o custeio total. Desse montante seria abatido o valor pago para os médicos concursados para socorristas, que serão encaixados no atendimento do PS.

A gestão será do Hospital Frei Galvão. “Isso nos dá uma certa tranquilidade, inclusive na liberação de pagamento de RPA (Recibo de Pagamento Autônomo), que passam a ser assumidos pelo hospital. A gente fica mais legalizado e com condições de melhorar o atendimento público no quesito Pronto Socorro”, destacou o prefeito, que confirmou o prazo de trinta dias para fechar a negociação junto ao Hospital Frei Galvão.

A assessoria de imprensa do Hospital Frei Galvão confirmou a negociação pela terceirização do Pronto Socorro, mas a administração do hospital só vai se pronunciar quando houver informações concretas sobre o acordo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>