Mais violenta do interior, região tem menor taxa de assassinatos desde 2008

Número de casos até julho é 13% inferior ao de 2018; Caraguá é vice-líder do “ranking da morte”; Lorena tem queda de 31%

Polícia Militar durante operação em Lorena;             (Foto: Colaboração Adriana Nunes)
Polícia Militar durante operação em Lorena; região tem redução de índices de criminalidade (Foto: Colaboração Adriana Nunes)

Lucas Barbosa
Regional

Mesmo permanecendo a mais violenta do interior do estado, a RMVale (Região Metropolitana do Vale do Paraíba e Litoral Norte) registrou nos primeiros sete meses deste ano sua menor taxa de assassinatos desde 2008. Na contramão das cidades vizinhas, Caraguatatuba teve um aumento preocupante de casos.

De acordo com dados da secretaria de Segurança Pública do Estado, a região teve de janeiro a julho 189 moradores assassinados, sendo 181 vítimas de homicídios dolosos (quando existe a intenção de matar) e 8 de latrocínios (roubo seguido de morte). O montante representa uma queda de 13% no comparativo com o mesmo período do ano passado, quando 219 pessoas tiveram as vidas ceifadas pela violência, sendo 206 por homicídios dolosos e 13 latrocínios.

O resultado dos primeiros setes meses de 2019 é o melhor da região desde 2008, quando ocorreram 170 assassinatos, sendo 153 homicídios dolosos e 17 latrocínios.

Apesar do avanço positivo nas estatísticas, a RMVale permanece na liderança de assassinatos no interior, seguida pelas regiões de Campinas (168), Ribeirão Preto (133), Sorocaba (100), Piracicaba (98), Santos (85), Bauru (53), São José do Rio Preto (49), Presidente Prudente (30) e Araçatuba (29).

Na região, São José dos Campos é a mais violenta com 26 homicídios dolosos, seguida de Caraguatatuba, com 21 vítimas de mortes violentas, sendo 18 homicídios dolosos e 3 latrocínios. O número total de casos representa um aumento de 31% em comparação a mesma época do ano passado, que foi de 16 (14 homicídios e 2 latrocínios).

Jacareí registrou vinte homicídios, enquanto Lorena e Cruzeiro aparecem empatadas, com 13 assassinatos cada. O primeiro município teve uma queda de 31% em relação ao ano passado, quando ocorreram 19 casos. Já o segundo contabilizou um aumento de 8%, pois teve uma morte violenta a mais.

A situação de Cruzeiro deverá piorar no próximo levantamento da SSP, já que em agosto a cidade teve uma série de assassinatos causados por uma rixa entre dois grupos. No último dia 14, um adolescente de 17 foi morto á tiros no bairro Parque Primavera. De acordo com a Polícia Civil, ele era suspeito por envolvimento em um duplo homicídio ocorrido no último dia 1 no bairro Vila Batista. Na ocasião, um jovem de 18 anos e um adolescente de 17 anos foram assassinados á tiros na rua Robert Douglas.

Segundo os dados do Estado, os demais municípios da região que tiveram moradores assassinados nos primeiros sete meses do ano foram:    Aparecida (4), Campos do Jordão (2), Canas (2), Caçapava (11), Cunha (5), Guaratinguetá (10), Igaratá (1), Lavrinhas (1), Natividade da Serra (3), Pindamonhangaba (12), Piquete (1), Potim (3), Queluz (3), Roseira (2), São Sebastião (5), Taubaté (18), Tremembé (3) e Ubatuba (9).

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?