Justiça de Guará deve retirar da mãe guarda de bebês abandonados em apartamento por mais de sete horas

Jovem deixou filhos durante a madrugada para ir a bar; vizinha chamou a Polícia Militar depois de ouvir choro de crianças

Policiais militares que encontraram crianças deixadas em quarto durante a madrugada; mãe é indiciada (Foto: Divulgação PM)
PM que encontraram crianças deixadas em quarto durante a madrugada; mãe é indiciada (Foto: Divulgação PM)

Juliana Aguilera
Guaratinguetá

A Polícia Militar de Guaratinguetá atendeu a um chamado às 23h48, na última segunda-feira, em um prédio residencial na rua Benjamin Constant, no bairro São Benedito. Foram encontradas duas crianças, um menino de um ano e meio e uma menina de seis meses, sozinhos, chorando, com fome e fraldas sujas. Quem acionou o 190 foi uma vizinha do prédio, após ouvir o choro por horas. A mãe, que havia ido a um bar, retornou para casa apenas às 6h40.

Segundo o boletim de ocorrência, a mãe, de 26 anos, foi vista pela vizinha saindo do prédio às 17h. A polícia buscou parentes próximos, mas por dificuldade em encontrá-los, acabou arrombando o local. As crianças não apresentam o nome do pai na certidão de nascimento. A sargento Tatiane, da Polícia Militar, providenciou fraldas limpas e mamadeiras para as crianças. Elas foram encaminhadas pelo Conselho Tutelar ao abrigo “Lar da Criança”.

A mãe voltou ao apartamento acompanhada de um homem, somente pela manhã. A soldado-PM Andreia afirmou que ela chegou a dar depoimento. “Ao tomar conhecimento do ocorrido, ela ainda ameaçou a vizinha, e ambas foram encaminhadas para a delegacia”. Após o depoimento, a mulher foi liberada.

O coordenador do Conselho Tutelar de Guaratinguetá, Thiago Salvador, afirmou que já foram localizados familiares, e as crianças foram entregues aos seus cuidados. Já a mãe deve responder por abandono de incapaz. O Conselho decidiu não devolver os menores à mulher, pelo seu histórico de ter perdido a guarda de outros três filhos pelo mesmo motivo.

A ocorrência foi registrada no Distrito Policial de Guaratinguetá e foi comunicada ao Ministério Público. A expectativa é de que a Justiça determine a perda do poder familiar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>