Guará tem debate sobre Uber e cobrança de regulamentação

Aplicativo de serviço de transporte chega à cidade com comemoração de usuários, pedido de atenção de secretário e protesto de taxistas

Aplicativo Uber que gera discussão em Guará com os primeiros carros do serviço (Foto: Reprodução)
Aplicativo Uber que gera discussão em Guará com os primeiros carros do serviço (Foto: Reprodução)

Juliana Aguilera
Guaratinguetá

O aplicativo de transporte Uber chegou a Guaratinguetá na última semana, causando alvoroço entre os usuários e profissionais do transporte particular. Apesar de nenhuma lei ter sido sancionada a respeito da condição do transporte, a população aderiu e as “corridas” estão a todo vapor. Admitindo o problema que o serviço sem regulamentação pode causar, o secretário de Segurança e Mobilidade Urbana, Marco Antônio de Oliveira, advertiu o uso do sistema no momento.

Mesmo não tendo passado por aprovação na Câmara, que está em recesso, o serviço pode se instalar na cidade devido à uma lei federal. “Não há regulamentação nacional em cima disso e cada município vai estipular como serão as normas”, explicou Oliveira, que destacou que os dados estão sendo levantados para poder criar regras para o uso do serviço e também para registrar os motoristas.

Documentos como antecedente criminal, CNH (carteira nacional de habilitação) e a comprovação do exercício remunerado serão pontos presentes na regulamentação. “Também estamos verificando a possibilidade deles pagarem uma porcentagem da viagem realizada. Alguma contribuição junto ao município será cobrada, para podermos investir essa verba em questões como sistema de trânsito e finalização viária”, afirmou Oliveira.

O aplicativo de celular faz sucesso por apresentar condições mais propícias aos usuários. A fisioterapeuta, Mariane Marques, usa o serviço fora de Guaratinguetá. “Uso no mínimo uma vez por semana, em situações que não sei como chegar em tal lugar ou sei que não vou conseguir estacionar por lá. Quando vou a festas, gosto de usar o Uber também, porque volto sossegada, não preciso beber menos para dirigir”, explicou.

Mariane também destacou o valor mais baixo que paga nas corridas, comparado com o táxi. “Vai ser ótimo usá-lo em Guará, porque nem sempre tenho um carro disponível aqui”, afirmou.

Já o motorista Renato Mota está contente com o serviço na cidade. “Trabalho como Uber há um ano porque fiquei desempregado. A expectativa de movimento é muito boa. Pelo menos no começo está tendo muitas corridas”.

Taxistas – Já para os taxistas, a novidade não foi recebida em bom tom. José Carlos Nogueira, há trinta anos na profissão, reclamou da concorrência desleal e falta de regulamentação. “O certo seria se esses aplicativos fossem voltados para os taxistas, não para essas pessoas desempregadas que fazem bico. Eles, táxis clandestinos e moto-táxis atrapalham o serviço do taxista. Eles também entram no mercado sem autorização da Prefeitura”, afirmou.

Nogueira explicou as diversas taxas que tem que pagar para se adequar ao serviço. “Tem vários documentos exigidos pelo município. Temos alvará, carro revisado e com seguro. E esses aplicativos? Será que são realmente adequados para trabalhar com a população?”

Um comentário em “Guará tem debate sobre Uber e cobrança de regulamentação

  • 14 de julho de 2018 em 13:34
    Permalink

    Como sempre Taxistas reclamam!!! Serviço Caro e fora as “bandeiras” e outra,o Uber não deixa qualquer um prestar o serviço.Pagam IPVA,Carros novos e o principal,UM PREÇO JUSTO!!Quando vc chama o Uber,já sabe o valor e escolhe a forma de pagamento!

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>