Doria promete mais câmeras de segurança no Vale em 2021

Projeto se “arrasta” deste a gestão de Alckmin; RMVale lidera assassinatos

Policiais militares, durante evento no batalhão de Lorena; Vale aguarda reforço de monitoramento de Doria (Foto: Rafaela Lourenço)
Policiais militares, durante evento no batalhão de Lorena; Vale aguarda reforço de monitoramento de Doria (Foto: Rafaela Lourenço)

Lucas Barbosa
Região

Mais violenta do interior do estado, a RMVPLN (Região Metropolitana do Vale do Paraíba e Litoral Norte) poderá contar com um reforço tecnológico no combate à criminalidade em 2021. Durante visita a São José dos Campos, no último final de semana, o governador João Doria (PSDB) comprometeu-se a investir na ampliação do cinturão eletrônico de câmeras de monitoramento nas rodovias que dão acesso aos municípios da região.

Na manhã do último dia 26, Doria participou da cerimônia de entrega de setenta viaturas na sede do CPI-1 (Comando de Policiamento do Interior) em São José dos Campos. Adquiridos através de um investimento estadual de quase R$ 5 milhões, os veículos reforçarão as ações da Polícia Militar em 16 dos 39 municípios da região.

Na ocasião, o governador também assinou a contratação da empresa que construirá a nova sede do Copom (Centro de Operações da Polícia Militar) no bairro Jardim Osvaldo Cruz, em São José dos Campos. Orçada em R$15 milhões, a unidade, que deverá ser inaugurada até o fim de 2020, será responsável pelo atendimento de emergências telefônicas e transferências de informações para viaturas.

Enquanto ressaltava a importância do Copom, o tucano revelou que a unidade também monitorará as imagens das câmeras de segurança que serão instaladas nas entradas e saídas das rodovias estaduais até dezembro de 2020, entrando em funcionamento em janeiro do ano seguinte. A ampliação deste cinturão de segurança eletrônico foi prometida pela antiga gestão estadual, comandada pelo ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB), mas acabou não saindo do papel. Atualmente, os únicos municípios que possuem as ferramentas de monitoramento em seus acessos são Campos do Jordão, Caraguatatuba, São José dos Campos e Taubaté.

Apesar de se comprometer a concretizar a promessa de seu antecessor e colega de partido, Doria preferiu não revelar o valor do investimento e o número de câmeras que deverão ser implantadas.

Os projetos estaduais de melhorias no setor da segurança pública buscam evitar que a RMVPLN continue registrando resultados preocupantes de criminalidade.

Divulgados no último dia 25 pela secretaria de Segurança Pública do Estado, dados do primeiro semestre do ano apontaram que a região permanece a mais violenta do interior.

Apesar da liderança, a RMVPLN teve uma queda de 9% nos casos de assassinatos em comparação ao mesmo período do ano passado, caindo de 184 para 167 ocorrências.

Das mortes violentas entre janeiro e junho, a região teve 160 moradores vítimas de homicídios dolosos (quando existe a intenção de matar) e 7 de latrocínios (roubo seguido de morte).

Com 22 assassinatos, São José dos Campos lidera o número de casos na região. Fechando o “pódio”, aparecem Caraguatuba, com 19 registros, e Taubaté com 17.

As demais cidades da RMVPLN que tiveram moradores mortos no primeiro semestre de 2019 foram Aparecida (4), Campos do Jordão (1), Canas (1), Caçapava (11), Cruzeiro (13), Cunha (4), Guaratinguetá (9), Jacareí (12), Lavrinhas (1), Lorena (12), Natividade da Serra (3), Pindamonhangaba (11), Piquete (1), Potim (3), Queluz (3), Roseira (2), São Sebastião (5), Tremembé (3) e Ubatuba (9).

 

 

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

× Como posso te ajudar?