Corte de gastos ameaça jogos da Copa São Paulo em Guará

Com despesas em alta, prefeito descartou as chances do Município arcar com realização de partidas no Dario e estrutura em 2019

O estádio Dario Rodrigues Leite que pode ficar sem receber jogos da Copa São Paulo (Foto: Arquivo Atos)
O estádio Dario Rodrigues Leite que pode ficar sem receber jogos da Copa São Paulo (Foto: Arquivo Atos)

Leandro Oliveira
Guaratinguetá

Sede da Copa São Paulo nos dois últimos anos, Guaratinguetá pode ficar sem receber jogos da competição em 2019. Um corte de gastos ameaça a abertura dos portões do estádio municipal Dario Rodrigues Leite para o torneio, que reúne dezenas de clubes de todo país.

A Copa São Paulo é um dos mais tradicionais eventos do futebol de base no Brasil. A competição já havia sido realizada em Guará em outros anos, mas com a Esportiva e o Guaratinguetá como donos da casa. Em 2017 e 2018 a equipe natal que representou a cidade foi o Manthiqueira. O torneio havia entrado no cronograma de eventos anuais do município.

Esse seria o terceiro ano consecutivo em que o Dario teria jogos da competição, mas a Prefeitura publicou nesta semana um decreto de contenção e corte de despesas para fechar as contas de 2018 no azul (leia na página 3), após determinação judicial que obriga o Município a pagar ações trabalhistas em quase R$ 10 milhões. Sem recursos, o Executivo já dá a Copinha como evento descartado.

Durante a semana, o prefeito Marcus Soliva (PSB) foi enfático ao afirmar que não será possível receber o evento no ano que vem. A declaração veio após a afirmação sobre as dificuldades orçamentárias enfrentadas neste semestre após a determinação judicial pelo pagamento de dívidas e ações trabalhistas. “Não vai dar para fazer. Mandei um ofício para a Federação Paulista, que se quiserem hospedar os jogadores na Escola de Especialistas da Aeronáutica, onde a gente já conseguiu com o brigadeiro para hospedar gratuitamente, a gente pode estudar a vinda da Copinha. Caso contrário não tem jeito”, afirmou.

De acordo com o chefe do Executivo, os custos com a organização, competição e infraestrutura são altos e o período de estadia das equipes no município é curto. “São mais de R$ 300 mil investidos em alimentação, hospedagem e transporte de jogadores. Não dá para bancar nesse momento”, enfatizou.

Secretário de Esportes de Guaratinguetá, Joel Pinho, lamentou a ausência do município na edição do ano que vem. “Terá que parar todos os projetos para cumprir a ordem judicial. Realmente é um gasto alto que a Prefeitura não dispõe e infelizmente a Copa São Paulo não vai acontecer na nossa cidade”, declarou.

A competição será realizada no início de janeiro, com final disputada no dia 25 do mesmo mês, em São Paulo (data que a capital paulista faz aniversário). A Federação Paulista de Futebol deve confirmar as sedes da competição entre os meses de outubro e dezembro. Além dos gastos com as equipes alojadas em Guará, é necessário investimento na manutenção do estádio Dario Rodrigues Leite, que recebe a cada edição no mínimo seis partidas.

Até o momento, a Federação não respondeu o ofício encaminhado pela Prefeitura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>