Com baixa adesão, Estado prorroga vacinação contra febre amarela

Participação da população aquém do esperado preocupa autoridades; Cunha registra segunda morte suspeita de macaco

Pacientes de Lorena em fila de vacinação contra a febre amarela (Foto Arquivo Atos)
Pacientes de Lorena em fila de vacinação contra a febre amarela; campanha é prorrogada (Foto Arquivo Atos)

Leandro Oliveira
Da Região

A baixa procura levou à prorrogação da campanha de vacinação contra a febre amarela em todo o estado. A ação foi estendida até o próximo dia 16.Na região, a atenção é cada vez maior, impulsionado no último sábado, quando um macaco foi encontrado morto em Cunha, o segundo no município somente neste ano. O animal foi encaminhado a um instituto para que seja feito laudo que vai indicar a causa da morte.

O veterinário que fez a necropsia no macaco suspeita que o animal tenha sido atropelado, assim como o primeiro encontrado neste ano. A secretária de Saúde de Cunha, Bianca Andrade, garantiu que não haviam hematomas e escoriações no primata e, por isso, ele foi encaminhado ao laboratório Adolf Lutz. “Foi colhido o material necessário e enviado para análise. Suspeita-se de vítima de atropelamento. É uma suspeita. No primeiro caso foi confirmado o atropelamento. Ele (macaco) não estava machucado, mas na necropsia haviam sinais de possível atropelamento”.

Outros dois macacos foram encontrados mortos na última semana na região. Em Guaratinguetá, o animal não tinha ferimentos ou hematomas pelo corpo e foi encaminhado para análise. O resultado deve sair nas próximas duas semanas. Já em Roseira, as patas do macaco tinham sinais de queimadura, o que pode indicar que ele morreu devido a um choque elétrico, já que foi achado próximo a um poste de energia.

Em toda a região, apenas 47,6% da população se vacinou contra a febre amarela, segundo a secretaria de Saúde do Estado de São Paulo. A baixa adesão preocupa especialistas e o próprio setor estadual, que já prorrogou a campanha duas vezes.

Pindamonhangaba vacinou apenas 33 mil pessoas das 138 mil que precisam receber a imunização. Já Guaratinguetá imunizou quase 28 mil pessoas, o que representa apenas 29,1% do público alvo. Em Cunha, onde foram encontrados dois macacos mortos em 2018, 50% da população foi vacinada.

A campanha vacinou até o final de fevereiro, 18.020 pessoas em Lorena, sendo 710 doses padrão e 17.310 doses fracionadas de acordo com informações da Vigilância Epidemiológica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>