Câmara repassa à Prefeitura projeto para internet gratuita em Guaratinguetá

Com proposta, comerciantes de regiões de grande fluxo podem regularizar o serviço para atrair clientes

Movimentação na praça Conselheiro Rodrigues Alves, um dos pontos que devem receber sinal de internet gratuito no comércio de Guaratinguetá (Foto: Juliana Aguilera)
Movimentação na praça Conselheiro Rodrigues Alves, um dos pontos que devem receber sinal de internet gratuito (Foto: Juliana Aguilera)

Juliana Aguilera
Guaratinguetá

A Câmara de Guaratinguetá enviou um requerimento para o prefeito Marcus Soliva (PSB) solicitando a implementação do projeto Guará Conecta, que deve disponibilizar internet gratuita para população em áreas públicas. Com base no programa Wi-fi Livre, de São Paulo, o projeto foi sugerido pelo vereador Pedro Sannini (PTB). Se aprovada, a lei poderá beneficiar comerciantes, população e turistas.

Segundo Sannini, a loja poderá oferecer a comodidade ao cliente e aumentar sua permanência, gerando maior fluxo de vendas. “Eu vou fazer a interlocução com o comércio, ver se eles têm interesse como, os comerciantes do bairro do Campo do Galvão, na praça próxima ao shopping. Às vezes, as pessoas não têm crédito para ligar, e aí, com a internet, resolve uma situação cotidiana. São inúmeros benefícios”.

Sem custear o serviço, a Prefeitura debate o benefício para o comerciante, que teria o nome de sua loja exposto no servidor de registro para o uso do serviço. “Não é nada definido, mas quando o cliente for colocar seu CPF e senha para utilizar o Wifi, ele verá o nome da empresa naquela página”, explicou.

Pontos da cidade são estudados para oferecer o serviço aos clientes, como os arredores do Centro e do shopping, em pontos movimentados no bairro Santa Rita, Nova Guará, Parque São Francisco e Pedregulho. O balanço de gastos com roteador e serviço de Wifi foi estudado previamente pelo vereador, que afirmou que o investimento do Guará Conecta é viável.

A operadora de telemarketing Luana Lima, 21 anos, se interessou pela proposta, já que vai ao Centro com frequência. Mas ela reforçou a importância do serviço ser de boa qualidade. “A internet teria que ser boa. Às vezes, por ter muita gente, ele poder ficar pesado e não carrega muito bem”.
A promotora Beatriz Salinos, 26 anos, também aprovou a ideia. Por não ter um celular com internet, ela explicou que a ajudaria muito no trabalho que faz na rua.

Na empresa que trabalha, o sinal de internet não é disponibilizado para os clientes, apenas para serviços web. “Quando eles notam o Wifi gratuito, se sentem mais à vontade. Eles irão, com certeza, voltar, nem que seja para usar o sinal e, às vezes, encontram alguma promoção e acabam comprando. Uma coisa leva à outra”.

Aceg – Paralelo ao projeto da Câmara, a Aceg (Associação Comercial e Empresarial de Guaratinguetá) está para disponibilizar internet gratuita na praça Conselheiro Rodrigues Alves, no Centro. Em parceria com a IBL Telecomunicações, o projeto tem apoio das Lojas Teddy, que cedeu o prédio da empresa para a instalação da antena, que facilitará o uso da internet no local.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>