Associação dos moradores recebem atendimento da UBS do Jardim do Vale

Mudança que já era prevista durante reforma de unidade foi antecipada devido às fortes chuvas

Leandro Oliveira
Guaratinguetá

A sede da Associação dos Moradores do Jardim do Vale 1, em Guaratinguetá, será usada como um posto de saúde temporário para os moradores dessa região. A unidade do bairro será reformada pelos próximos quatro meses, e a secretaria de Saúde negocia a mudança provisória para o local. As mudanças foram antecipadas devido às chuvas dos últimos dias que impossibilitam a abertura do posto.

De acordo com o chefe de Gabinete da Saúde, Alexandre Rocha, a equipe de funcionários do posto de saúde será dividida. Parte dela vai prestar atendimentos na sede da associação e, quando não houver grande demanda, será redirecionada para as unidades do Engenheiro Neiva, Jardim Esperança e Cohab. “Em razão da reforma, vamos dividir a unidade. A atenção básica, clínica geral e enfermagem ficarão na associação”.

O chefe de gabinete garantiu ainda que as demais especialidades serão distribuídas para as três unidades, e que não há previsão de início dos atendimentos na sede da associação, mas até a próxima semana a instalação deve ser regularizada.

Até que a mudança aconteça, os moradores dos bairros Jardim do Vale 1 e 2 e Chácaras Agrícolas devem procurar um dos três postos de saúde. “Até semana que vem já estará funcionando. As instalações da Associação são muito boas, mas por se tratar de atendimento de saúde, há necessidade de uma pequena adaptação, principalmente na parte de enfermagem. Isso já está sendo providenciado”, detalhou Rocha.

A secretaria de Saúde ainda tem trâmites que ainda estão sendo ajustados antes da mudança dos atendimentos. A prioridade na pasta é dar andamento a instalação para normalizar e melhorar o atendimento à população dessa região. O pregão para definir as obras do posto de saúde foi aberto na última segunda-feira e ainda não existe um prazo para o início da reforma.

A previsão é de que os serviços durem pelo menos três meses. De acordo com a secretária de Saúde Maristela Macedo, o custo deve ter teto de R$ 310 mil.

Para o chefe de gabinete, os feriados de fim de ano devem atrasar o andamento das obras. “Nós estamos considerando Natal e Ano Novo, talvez isso atrapalhe um pouco. Em torno de três a quatro meses é a previsão de entrega das obras finalizadas”, concluiu.


Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?