Acusado de dirigir embriagado, vereador Pedro Sannini nega uso álcool

Parlamentar de Guaratinguetá se envolve em acidente em bairro de Lorena e é liberado após pagar fiança

Sanini, vereador detido em Lorena, que negou ter dirigido embriagado (Foto: Reprodução CMG)
Sanini, vereador detido em Lorena, que negou ter dirigido embriagado (Foto: Reprodução CMG)

Leandro Oliveira
Lucas Barbosa
Rafaela Lourenço
Lorena

Após se envolver em um acidente de trânsito na manhã da última quinta-feira (28), em Lorena, o vereador de Guaratinguetá, Pedro Sannini (PTB), foi encaminhado ao 2° Distrito Policial de Lorena. Denunciado por estar embriagado ao volante, o parlamentar foi submetido ao teste do etilômetro.

De acordo com o portal de notícias da Rede Globo, o G1, informações da Polícia Civil de Lorena revelaram que Sannini trafegava por uma via do bairro Cabelinha, por volta das 8h, quando perdeu o controle do carro,     colidindo com um veículo estacionado.

Ao desconfiar que o motorista estava alcoolizado, testemunhas acionaram a   Polícia Militar. Na sequência, o vereador foi conduzido para prestar esclarecimentos no 2° Distrito Policial, localizado na região central do município.

No local, a reportagem do Atos não conseguiu informações oficiais da Civil sobre a investigação do caso. Ao G1, a Polícia informou que Sannini foi submetido ao teste do bafômetro, que teria confirmado a embriaguez ao volante.

O carro do acusado, um Chevrolet Onix, estacionado em frente à delegacia, apresentava leves danos, que teriam sido causados pelo acidente. O vereador foi preso em flagrante, sendo liberado somente no início da tarde, após pagar uma fiança de R$ 2 mil.

O caso foi transferido para Guaratinguetá. Na cidade do vereador, o delegado Dr. Márcio Marques Ramalho, responsável pela delegacia seccional, falou sobre como a apuração deve seguir. “Eu estava em trânsito quando fui comunicado (da detenção de Sannini). O fato, num primeiro momento, é registrado lá (Lorena), mas como se trata de um fato contra um membro do Poder Legislativo, ou chefe do Poder Executivo, a atribuição é da Seccional. Eu posso atuar diretamente ou designo um delegado para presidir essa investigação. Os inquéritos têm um prazo de trinta dias e vai se renovando, solicitando mais prazos, ao judiciário”.

Carro do vereador, em frente à delegacia com sinais de acidente (Foto: Rafaela Lourenço)
Carro do vereador, em frente à delegacia com sinais de acidente (Foto: Rafaela Lourenço)

Outro lado – A reportagem procurou a equipe de assessoria do vereador, que, em nota oficial, confirmou o envolvimento no acidente, mas não mencionou nada em relação ao suposto consumo de bebidas alcoólicas.

Sannini, que preside a Comissão de Ética da Câmara de Guaratinguetá, afirmou que faz uso de medicamentos antidepressivos e que no dia anterior ao acidente (quarta-feira) aumentou a dosagem do remédio por conta própria.

Em relação à cobertura de parte da imprensa e de internautas que compartilharam a informação que o vereador estava embriagado, a nota ressaltou que “as mentiras e fakenews sobre o que ocorreram e se espalharam inadvertidamente, e os responsáveis, serão devidamente acionados juridicamente para que respondam por essa atitude covarde”.

Procurada pela reportagem do Jornal Atos, a Câmara de Guaratinguetá não se pronunciou sobre o caso, alegando não ter sido oficialmente comunicada pelo ocorrido em Lorena.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

× Como posso te ajudar?