Sem verba, Conectim ameaça deixar Cruzeiro

Prefeitura nega aporte financeiro e time analisa mudança de cidade-sede

Leandro Oliveira
Cruzeiro

Campeão paulista em 2014, dono de boas campanhas nas edições do estadual em 2015 e com apoio do torcedor, o Conectim Futsal informou nesta semana que pode encerrar as atividades. Isso porque, segundo comunicado do clube, a Prefeitura de Cruzeiro estaria encerrando o apoio no time. Com o fim do investimento, a continuidade da equipe estaria comprometida, segundo Rômulo Ayres, presidente da agremiação.
Uma publicação na página oficial do Conectim Futsal em uma rede social chamou a atenção nesta semana e ganhou repercussão entre os apaixonados por esse esporte. Na postagem, a informação é de que a prefeitura de Cruzeiro não investiria mais no clube. A falta de investimento, segundo o presidente da agremiação, Rômulo Ayres, pode fazer com que o clube feche as portas neste ano. “Minha intenção na publicação é mostrar que o que a prefeitura deixou de fazer, não dá para darmos continuidade no time”.
Segundo Rômulo, os custos do Conectim giram em torno de R$ 155 mil por ano. Desse montante, aproximadamente R$ 100 mil seriam pagos pelo clube e o restante era custeado pela prefeitura. Os valores pagos pelo poder público eram referentes a taxa na Federação Paulista de Futsal e o transporte realizado em dias de jogos. “Dois terços do valor era privado e um terço era custeado pela prefeitura, já que existe uma parceria entre Conectim e Cruzeiro. Era uma fusão entre uma equipe e poder público, tanto que levamos na nossa camisa o brasão da cidade”, contou.
Sem a parceria e o investimento, o Conectim vive outro drama. No início de fevereiro, a Federação encerra o período de inscrições e pagamentos de taxas. Segundo Rômulo, as conversas entre clube e prefeitura teriam se iniciado no fim de 2015 e somente nesta semana a resposta negativa foi dada pelo poder público. “Eles nos passaram que ajudariam com a taxa da federação, iam manter a Casa Atleta e não iam mais custear o transporte, que era mais caro. Se propuseram a buscar outra solução e essa conversa se perdurou até a última segunda-feira. Estamos há 15 dias para decidir se vamos jogar pela Federação e a prefeitura nos disse que não ajudaria em nada”.
O presidente do Conectim também explicou que uma possível solução seria o investimento da iniciativa privada. Para Rômulo, encontrar um patrocinador às vésperas do pagamento da taxa para a Federação Paulista é uma tarefa difícil e burocrática. Ainda segundo o cartola, o clube tem mantido contato com duas empresas, sendo que uma delas poderia ser o patrocinador principal e a outra viria por meio de uma lei de incentivo ao esporte.
Alternativas – Rômulo Ayres também declarou que o clube está aberto à empresas que queiram ajudar no custeio das despesas deixadas pela prefeitura e se tornar parceiras do Conectim. Questionado sobre uma possível mudança de sede, o presidente respondeu: “A gente não gostaria de mudar em respeito à cidade e a prefeitura, mas hoje, se aparecer alguma cidade da região que cubra esses custos, a gente muda sim. Existe essa possibilidade depois da negativa da prefeitura de Cruzeiro”, concluiu.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?