PF rastreia denúncia de desvio de quase R$ 4 milhões do SUS em Cruzeiro

Esquema pode ter causado prejuízo para rede pública de saúde; computadores e documentos são apreendidos na Prefeitura

A Prefeitura de Cruzeiro, alvo de investigação da PF e CGU; supostas irregularidades em contrato com OS da Saúde (Foto: Rafaela Lourenço)

Lucas Barbosa
Cruzeiro

Investigando um possível esquema de desvio de verbas do SUS (Sistema Único de Saúde) em Cruzeiro, a PF (Polícia Federal) deflagrou uma operação na manhã desta quinta-feira (21) na Prefeitura e nas casas de investigados em outras seis cidades. As supostas irregularidades causaram um prejuízo de cerca de R$ 3,650 milhões aos cofres públicos.

Além de Cruzeiro, a operação “MedCruz” cumpriu mandados de busca e apreensão em Piquete, Taubaté, Poá, Mogi das Cruze, Suzano e Resende (RJ).

De acordo com a delegada da PF de Cruzeiro, Luciana Gebrim, a investigação foi iniciada há quase um ano após uma fiscalização da CGU (Controladoria Geral da União) apontar indícios de fraude por parte da Prefeitura de Cruzeiro na contratação em 2017 de uma OS (Organização Social), sediada em Poá-SP e que não teve o nome divulgado pela PF, para o gerenciamento dos serviços de saúde relacionados às redes municipais de Assistência Farmacêutica e de Atenção Básica e Especializada.

No decorrer da apuração, a PF encontrou indicativos de que alguns membros da atual gestão municipal, comandada pelo prefeito Thales Gabriel Fonseca (PSD), receberam vantagens econômicas para favorecem a OS no processo licitatório de contratação e em outras ações fraudulentas futuras. Os servidores municipais envolvidos no supostos esquema não tiveram suas identidades divulgadas pela PF.

A corporação também descobriu indícios de repasses financeiros com valores acima dos devidos à terceirizada, emissões de documentos falsos, pagamentos por serviços não prestados, apropriação indevida de recursos e movimentações bancárias consideradas suspeitas pelo Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras).

Além de dar mais detalhes sobre a operação, a delegada da PF de Cruzeiro revelou quais serão os próximos passos do trabalho investigativo. “Na Prefeitura de Cruzeiro, apreendemos documentos e computadores no setor de Compra e Licitações e nas secretarias de Administração e Finanças. Agora, analisaremos estes materiais e os que foram obtidos nas casas dos suspeitos em busca de outros indícios e provas sobre este esquema. Por cautela, também foram ordenados os afastamentos de três agentes públicos, mas neste momento não podemos revelar seus nomes e funções”, explicou Luciana Gebrim.

Caso o esquema de desvio de verbas seja comprovado, os envolvidos deverão responder pelos crimes de: fraude a licitações, falsidade documental, peculato (desvio de bem pública), corrupção passiva, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

Em nota oficial, a Prefeitura de Cruzeiro informou que entregou todos os documentos solicitados, afastou os funcionários e se colocou à disposição da Polícia Federal “mantendo a transparência do governo perante à Justiça e população cruzeirense (trecho do documento)”.

 

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?