Estado cria monumento natural entre Cruzeiro e Piquete

Atrativo turístico abrange mais de dez mil hectares da Serra da Mantiqueira; projeto é discutido desde 2015

Monumento natural entre Cruzeiro e Piquete, que deve impulsionar ecoturismo (Foto: Colaboração Thiago Miranda)

Lucas Barbosa
Cruzeiro

Atendendo um antigo pedido das prefeituras de Cruzeiro e Piquete, o Governo do Estado decretou na última quarta-feira (6) a criação de um monumento natural num trecho de Serra da Mantiqueira, que liga os dois municípios. Com 10,3 mil hectares de extensão, a área de conservação ambiental deverá impulsionar o ecoturismo na região.

De acordo com a secretaria estadual de Infraestrutura e Meio Ambiente, os monumentos naturais são caracterizados como áreas de conservação ambiental, que tem como objetivo preservar a integridade de um elemento natural único, de extrema raridade ou beleza cênica.

Publicado no Diário Oficial do Estado, o decreto do governador João Doria (PSDB) ressalta que a criação do Monumento Natural Mantiqueira Paulista contribuirá para a manutenção da biodiversidade e restauração ecológica do território paulista.

A atual gestão estadual acredita que a unidade poderá atrair turistas interessados em desfrutarem das belezas naturais do trecho, contribuindo para o aumento do fluxo de visitantes em Cruzeiro e Piquete.

A Fundação Florestal será a responsável pela gestão do monumento, em coordenação com os proprietários de terrenos da região. As prefeituras de Cruzeiro e Piquete também participarão do conselho gestor da área.

De acordo com a secretária de Meio Ambiente de Cruzeiro, Olivia Costa, as tratativas para a criação do monumento foram iniciadas em 2015 através do GT Mantiqueira (Grupo de Trabalho Serra da Mantiqueira), formado por representantes do Estado, sociedade civil e das prefeituras de Cruzeiro, Guaratinguetá, Lavrinhas, Pindamonhangaba, Piquete e Queluz.

A ideia inicial do grupo era que a unidade contasse com uma área de cerca de 16 mil hectares, porém o Estado decidiu pela redução para 10,3 mil hectares.

Além de ressaltar que a criação do monumento será fundamental para viabilizar uma maior fiscalização e controle ambiental do local, Olívia destacou outros pontos positivos. “Esse avanço em gestão de território permitirá a preservação da biodiversidade e da paisagem. Esta área já era protegida por lei, mas agora poderá receber mais investimentos e ordenamento turístico. O monumento será mais um elemento que ajudará Cruzeiro no processo de evolução de MIT (Município de Interesse Turístico) para estância turística, o que traria diversos benefícios para a cidade”, afirmou a secretária de Meio Ambiente.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?