Dono de jornal acusa vereador de agressão na Câmara de Cruzeiro

Matéria sobre Máfia da Merenda teria levado a confronto entre empresário e vereador Sergio Antônio

Imagens da câmera de segurança interna da Câmara, que flagrou momento da discussão entre vereador, assessor e o proprietário do jornal (Reprodução)
Imagens da câmera de segurança interna da Câmara, que flagrou momento da discussão entre vereador, assessor e o proprietário do jornal (Reprodução)

Da Redação
Cruzeiro

O proprietário do jornal “A Notícia” de Cruzeiro fez um boletim de ocorrência nesta terça-feira onde acusou o vereador Sérgio Antônio dos Santos (PRB) e seu filho, o assessor da Assembleia Legislativa de São Paulo, Thauzer Gutierrez, de tentativa de agressão. A situação, que teria acontecido durante a sessão da Câmara da última segunda-feira, seria motivada por uma matéria do periódico. O parlamentar negou o ataque.
Sergio Luiz Santiago contou que estava no prédio da Câmara quando foi abordado pelo filho do vereador, que o chamou para uma conversa no gabinete de Sergio Antônio. Ele teria o questionado sobre o conteúdo da matéria, em que o jornal destaca a investigação da Justiça de São Paulo sobre a acusação contra o deputado Fernando Capez, em suposto envolvimento em um esquema de corrupção de desvio de verbas da Educação com pagamento de propina batizada de “Máfia da Merenda”. O texto, publicado no último dia 18, lembra da participação do vereador e de seu filho na campanha de Capez, em Cruzeiro.
De acordo com Santiago, em meio à discussão, Gutierrez o teria atacado. “Disse que ele poderia tomar as providências que achasse necessária. Foi aí que ele começou a me falar que eu seria castigado por Deus, que eu iria morrer na m…, sem nada. Em seguida, o Sergio (vereador) tentou me dar um soco, mas eu me afastei e acabou sendo segurado por alguns seguranças e vereadores”.

O vereador Sérgio Antônio, que é acusado de agressão (Arquivo Atos)
O vereador Sérgio Antônio, que é acusado de agressão (Arquivo Atos)

À Polícia, o diretor do jornal seguiu contando que foi levado para a sala do chefe do Gabinete da Câmara, e que momentos depois, o vereador e o assessor estadual tentaram invadir o local. Santiago teria escutado do parlamentar que “coisas ruins podem acontecer” e de Gutierrez que “não ri não, que pode ficar ruim para você”.
O diretor do “A Notícia” garantiu que não riu ou debochou do vereador, mas que ficou “atônito com a situação”.
A confusão chegou a interromper os trabalhos dos vereadores por dois minutos. Um vídeo da própria Câmara, com a transmissão a sessão da última segunda-feira mostra o momento em que vereadores e servidores deixaram o plenário para separar a discussão.
Acusado, Sergio Antônio negou que tenha agredido Santiago. “Ele postou a foto em que estou ao lado do Capez. É um crime. Eu não tenho nada com isso, até porque está tudo em fase de investigação. Ele (Fernando Capez) é meu amigo, é um grande deputado”.
O parlamentar rebateu a versão do empresário. Ele disse que Santiago só foi questionado porque distribuía a edição com a matéria e a foto gratuitamente na Câmara. “Estava distribuindo de graça para fazer uma acinte para mim. Meu filho que é assessor do deputado estava presente e chamamos ele para questioná-lo. Disse que ele estava cometendo um tremendo crime, que eu não merecia isso. Ele estava exibindo uma foto que não tem nada a ver”.
Com relação à acusação de agressão, o vereador disse que não houve ataque físico e que também vai cobrar uma resposta do proprietário do jornal. “O que houve foi um bate-boca, não uma agressão. Até porque eu sou polícia (sic) e preservo o local. Eu já tomei medidas. Registrei boletim de ocorrência por calúnia e difamação e uma ação de ficha crime na justiça”.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?