Atraso no pagamento de empresa volta a deixar pacientes de Cruzeiro sem transporte

Atraso no pagamento da empresa contratada volta a paralisar serviço; consultas são canceladas

Maria Fernanda Rezende
Cruzeiro

As pessoas que dependem do transporte gratuito oferecido pela secretaria de Saúde de Cruzeiro ficaram mais uma vez na mão. Na última segunda-feira, a empresa contratada pela Prefeitura não prestou o serviço por falta de pagamento. Pacientes perderam suas consultas, marcadas há meses.

Vans e ônibus levam pacientes para consultas, exames e tratamentos em outras cidades. Para conseguir o atendimento, o paciente pode levar até meses de espera, demora que se repete na remarcação.

Em agosto deste ano, a reportagem do Jornal Atos acompanhou a mesma situação, em que a empresa PindaTur, responsável pelo serviço, retirou o serviço por atraso no recebimento. Na época, o Executivo informou que estava com os pagamentos dentro do atraso permitido, e que a empresa havia paralisado sem aviso prévio.

Assim como ocorreu há dois meses, nesta semana pacientes tiveram de recorrer ao transporte particular para não perderem tratamentos importantes. Esse foi o caso do marido da aposentada Nilza Moreira, que faz hemodiálise três vezes por semana. Ela afirmou que o problema foi um erro na informação passada.

“Na segunda-feira, antes do horário de ida, eu fui no ARE (Ambulatório Regional de Especialidades) e confirmaram que não teria transporte. Pegamos carona com meu filho e fomos para Taubaté. A minha filha, que foi buscar. Só que depois, a empresa (PindaTur) disse que teve transporte sim, mas quando foram me buscar eu já tinha saído”, contou a aposentada.

Houve também reclamações sobre a falta de suporte da Prefeitura com os pacientes, após cancelamento do transporte. “Não recebemos nenhum apoio. Perdi a consulta, era em São José dos Campos, e já estava marcada há três meses. Agora só consegui para janeiro”, lamentou a secretária Zoraima Coutinho.

O secretário de Sáude, Wagner Streitenberger, alegou que o transporte dos pacientes foi interrompido devido a um atraso no pagamento que não ocorreu no último dia, mas que já foi efetuado na última segunda-feira. O serviço retornou normalmente na terça-feira, e o agendamento segue normalmente.

Segundo Streitenberger, os pacientes que precisaram do serviço na segunda-feira, foram atendidos, e os que não conseguiram atendimento foram reagendados pela secretaria de Saúde.

Procurado pela reportagem do Jornal Atos, o diretor da PindaTur, Walter Patrocínio Filho, afirmou que os atrasos são recorrentes, e que Prefeitura e empresa fizeram um acordo para normalizar o pagamento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>