Casas do Santa Terezinha seguem sem escrituras após promessas de solução

Lucas Barbosa
Canas

As mais de 150 famílias do bairro Santa Terezinha, em Canas, que há mais de duas décadas cobram a regularização das escrituras das casas do loteamento, devem permanecer sem o documento por tempo indeterminado. Já os moradores do residencial São Judas, no mesmo bairro, podem em breve receber a pavimentação do bairro e outras melhorias estruturais. Pelo menos é isso que promete a Prefeitura.
Há pouco mais de 23 anos, moradores do Santa Terezinha convivem com as dificuldades da falta de escrituras dos imóveis. Além do bairro não angariar melhorias do Governo do Estado e Federal devido à falta de regularização, os moradores enfrentam uma série de problemas para alugar, vender e passar os imóveis para seus herdeiros.
Em 2013, o Jornal Atos mostrou a insatisfação dos moradores da região devido à demora do Executivo na resolução do caso. Em julho do ano passado, o prefeito Lucemir do Amaral (PSDB) afirmou que o processo de regularização, que teve início no mandato do ex-prefeito cassado Rinaldo Zanin, o Naldinho (PDT), estava em fase final.
Para a revolta das famílias do Santa Terezinha, até hoje as escrituras não foram liberadas. “Tem hora que falam que o proprietário do terreno em que foi construído o loteamento é responsável pelo processo das escrituras, aí passa um tempo falam pra gente que é a Prefeitura que está cuidando disso. Nessa enrolação, já passou quase dez anos e até agora nada. É muito complicado não ter esse documento, porque quando queremos alugar uma casa temos que fazer um contrato ‘só de boca’”, explicou o morador J.F.R, que pediu para que seu nome fosse preservado, por possuir parentes que trabalham na Prefeitura.
De acordo com Amaral, o Executivo fez todo o possível para garantir a liberação do documento. “Entendemos as dificuldades da população de não contar com a escritura das casas. Tentamos de várias formas junto ao Governo do Estado, que este processo de emissão das escrituras fosse adiantado. Mas o último posicionamento oficial que chegou foi que caberá ao proprietário do terreno, onde foram construídas as casas, dar prosseguimento neste processo’, lamentou o prefeito.
O Jornal Atos tentou contato com o proprietário da área, mas até o fechamento desta edição ele não foi localizado para comentar o assunto.
São Judas – A indignação dos moradores do residencial São Judas Tadeu, construído no Santa Terezinha, devido à falta de pavimentação e área de lazer no local pode ter os dias contatos.
Os imóveis do residencial foram doados pelo ex-prefeito Naldinho. Muitos moradores relatam que as casas possuem problemas estruturais, como rachaduras.
De acordo com Lucemir do Amaral, em breve o local poderá receber melhorias. “O Governo do Estado liberou a ordem de serviço para a construção de 48 casas do CDHU que serão erguidas próximas ao São Judas. Estamos conversando com a Companhia, e a expectativa é que toda esta região seja pavimentada devido à construção das novas casas. Além disso, estamos buscando verbas governamentais para que possamos promover outras importantes melhorias nesta região”, finalizou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>