Mais violenta do Estado, RMVale tem menor número de vagas para o “Alistamento Civil”

Potim é a única cidade atendida na região, que deve ter apenas cem jovens no programa estadual

O governador de São Paulo Márcio França, que anunciou programa da Polícia Civil que deve contar com jovens; Potim e Lorena serão atendidas (Foto: Divulgação)
O governador de São Paulo Márcio França, que lançou projeto que atende apenas uma cidade no Vale  (Foto: Arquivo Atos)

Lucas Barbosa
Regional

Mesmo sendo a mais violenta do interior do Estado, a RMVale (Região Metropolitana do Vale do Paraíba) foi uma das duas regiões que receberam menos vagas no programa de segurança pública “Alistamento Civil”, lançado na última semana pelo governador e pré-candidato ao cargo Márcio França (PSB). Única área a registrar mais de cem assassinatos nos primeiros cinco meses do ano, o Vale teve apenas uma cidade contemplada pela primeira fase do projeto.

Terceiro colocado na pesquisa de intenção de votos para governador, divulgada pelo Ibope (Instituto Brasileiro de Opinião e Estatística) no último dia 29, Márcio França, que aparece com 5%, atrás de João Dória (PSDB) e Paulo Skaf (MDB), lançou no último dia 10 o Jepoe (Jovens no Exercício do Programa de Orientação Estadual).

De acordo com o Governo do Estado, o programa, mais conhecido como Alistamento Civil, recrutará 4.337 jovens, de 16 e 18 anos, de 16 municípios paulistas.

Os beneficiados receberão uma bolsa mensal de R$ 500 e participarão em agosto de cursos profissionalizantes e aulas de noções de ética e civismo, direitos humanos, higiene e primeiros-socorros.

Durante entrevista coletiva em 20 de junho, em Cachoeira Paulista, França afirmou que o “Alistamento Civil” é uma aposta para reduzir os índices criminais no Vale, já que a proposta ofereceria uma nova e melhor alternativa de vida aos jovens carentes da região, que é a mais violenta do interior com 148 assassinatos de janeiro a maio de 2018.

Na ocasião, o governador explicou que devido à proximidade do período eleitoral, não poderia estender o programa a todas cidades da RMVale.   Além de confirmar que Potim seria contemplada, ele afirmou que analisaria uma possível inclusão de Lorena, apontada por um levantamento do ‘Instituto Sou da Paz’ como o município mais violento de São Paulo em 2017, com uma taxa de 31,8 mortes por grupo de cem mil habitantes.

Mas, a cidade, que nos primeiros cinco meses já contabiliza 14 homicídios e 1 latrocínio (roubo seguido de morte), ficou de fora da lista divulgada no último dia 10. Com cem vagas, Potim é a única que receberá o Alistamento Civil na região. Apesar de liderar o ranking da violência no interior, o Vale do Paraíba divide a “lanterna” de vagas com a região de São José do Rio Preto.

As demais áreas de São Paulo foram contempladas com os seguintes números de vagas: Baixada Santista (995), Grande São Paulo (988), Sorocaba (521), Araçatuba (485), Ribeirão Preto (447), Bauru (311), Araraquara (145), Campinas (135) e Presidente Prudente (110).

Estado – Questionado pela reportagem do Jornal Atos sobre quais motivos levaram a RMVale receber o menor número de vagas do Alistamento Civil, o Governo do Estado, através de sua assessoria, emitiu uma nota oficial que não esclarece a questão.

O documento explica apenas que nesta primeira etapa foram selecionados 16 municípios, sendo um de cada região administrativa do Estado, com base em critérios de vulnerabilidade social, criminalidade e orçamento municipal per capita. Já o número de vagas ofertadas foi definido de acordo com o montante de habitantes de cada cidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>