CEI quer vistoriar 19 anos de intervenção na Santa Casa em Cachoeira Paulista

Comissão investiga utilização de recursos entre 1997 e 2015; oposição quer saber ‘aonde foi parar’ o dinheiro público

Lucas Barbosa
Cachoeira Paulista

A Câmara de Cachoeira Paulista aprovou por unanimidade na última terça-feira a abertura de uma CEI (Comissão Especial de Investigação) que analisará acusação de irregularidades na aplicação de verbas na Santa Casa. O trabalho promete rastrear os dados da intervenção, que completa 19 anos em 2016.
Ao contrário do pedido de abertura de CEI, do último dia 26, que acabou rejeitada e que cobrava a investigação apenas da gestão do prefeito João Luiz Ramos (PSB), a nova comissão busca identificar possíveis ilegalidades cometidas entre 1997 e 2015.
Com o centro cirúrgico, maternidade e laboratório fechados, a má gestão da Santa Casa de Cachoeira é vista por vereadores oposicionistas como o ‘calcanhar de Aquiles’ da atual gestão municipal. Mergulhado numa crise financeira sem precedentes, com uma dívida que ultrapassa R$ 20 milhões, o hospital deixa de atender pacientes diariamente, já que somente o Pronto Socorro está funcionando.
Para investigar a utilização de recursos feita pelo Executivo, já que o hospital está sob intervenção municipal desde 1997, os parlamentares aprovaram por 11 a 0 a CEI na última sessão. Anteriormente, a oposição havia tido quatro comissões especiais ‘barradas’ pela base governista de João Luiz.
Para o vereador Cláudio Gaspar, o Claudinho (PSB), autor do pedido de abertura da CEI, e eleito presidente da comissão, é necessário investigar o que ocorreu administrativamente dentro do hospital, que resultou em dívidas milionárias e o fechamento de diversas alas e serviços. “Temos afirmado o mau uso do dinheiro público na Santa Casa, e apontado supostas fraudes. Pediremos auxílio a todos os órgãos competentes e encaminharemos todo material à Policia Federal, Ministério Público Federal e Estadual, Controladoria Geral da União, Tribunal de Contas e Delegacia Anti-Corrupção”.
De acordo com o vereador Breno Anaya (PSC), também oposição a atual administração municipal, os parlamentares estão empenhados em colaborar para que os responsáveis por ‘afundar’ a Santa Casa sejam identificados e punidos. “É inaceitável a situação que a Santa Casa se encontra. Queremos saber o valor total de verbas que foram encaminhadas pela Prefeitura desde 1997, e como estes recursos foram utilizados, já que no momento, a maioria dos serviços não está funcionando no hospital”.
Para o presidente da Câmara, Guilherme Marcondes (PSC), a abertura da comissão, formada por Claudinho, Mariza Hummel (PP) e Carlinhos da Saúde (PR), demonstra a necessidade de respostas por parte do Executivo, referente à questão como “para aonde” está indo o dinheiro público destinado à manutenção do atendimento no hospital. “Vemos ao longo dos anos o Executivo repassando muita verba à Santa Casa, mas em contrapartida cada vez menos serviços são colocados à disposição da população. Então está na hora de nós, como políticos, tomarmos partido e buscarmos respostas sobre o que vem causando esta série de problemas financeiros ao hospital. A comissão terá noventa dias para analisar os levantamentos e documentos referentes aos motivos que levaram á Santa Casa viver este caos”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>