Voucher do turismo ganha apoio para retomada de tema na Câmara de Aparecida

Projeto de tarifa de hospedagem, que seria votado em 2017, pode retornar ao Legislativo neste ano

Cena aérea de Aparecida; hotéis da cidade aguardam projeto que cria tarifa facultativa que pode voltar à pauta na Câmara em 2018 (Foto: Arquivo Atos)
Cena aérea de Aparecida; hotéis da cidade aguardam projeto que cria tarifa facultativa que pode voltar à pauta na Câmara em 2018 (Foto: Arquivo Atos)

Leandro Oliveira
Aparecida

O projeto que poderia estabelecer o pagamento facultativo de uma taxa para turistas hospedados em Aparecida não foi votado em 2017. A proposta pelo voucher turístico foi discutida na Câmara no segundo semestre e seria votada na última sessão do ano, mas o projeto foi retirado da pauta. O Executivo analisa se o documento será encaminhado novamente para votação.

A proposta pelo voucher turístico, que custaria R$3 e seria cobrado de cada turista hospedado em hotéis, pousadas ou pensões de Aparecida, causou tumulto em agosto. A Câmara recebeu grande participação popular na sessão que discutiu o projeto. O documento havia sido encaminhado em maio.

Após a apresentação, o texto original recebeu alterações. A principal foi a retirada da obrigatoriedade da cobrança para cada hóspede em Aparecida. O Executivo entendeu que os hotéis precisariam ter a liberdade de escolher se cobrariam ou não dos turistas. Após tramitação normal a proposta voltou à Câmara, mas não foi votada.

No fim de 2018 o documento entraria em votação, mas não entrou. O secretário de Administração de Aparecida, Domingos Léo Monteiro, enfatizou que a captação de recursos para o turismo de Aparecida ainda é muito pequena. “Precisamos de mais recursos para investir no turismo. Da verba que nós recebemos para, exclusivamente, investirmos no turismo, são apenas R$ 0,25 por turista. Praticamente irrisório o que a gente investe no turismo, sendo Aparecida uma cidade que recebe mais de 12 milhões de visitantes todo ano”.

Segundo o secretário, a Prefeitura defendeu a proposta pelo voucher. Questionado se o projeto deve retornar ao Legislativo neste ano, Monteiro não confirmou, porém, defendeu a opção pensada pelo Executivo e enfatizou que dentro do planejado, é uma solução aplicável.

“É uma proposta viável e legal, sob o ponto de vista jurídico, o entendimento da Prefeitura é que pode ser aplicada. Até com as discussões que fizemos com as classes envolvidas fizemos debates e ajustes no documento. Quanto ao reenvio, não posso dizer, será uma decisão apenas do prefeito”, concluiu.

Aparecida recebe, em média, 12 milhões de visitantes por ano. Em 2017, o número de turistas que visitaram a cidade ultrapassou a marca de 13 milhões. No ano passado o município recebeu um monumento de 50 metros de altura, que deve ser o principal ponto de visitação turística fora do Santuário Nacional. A projeção é de que neste ano a marca se mantenha acima dos 13 milhões de turistas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>