Saúde de Aparecida abre sindicância para apurar falhas no transporte de pacientes

Família denuncia Prefeitura por precariedade do serviço oferecido pela rede pública; idosa de oitenta anos é levada sem condições ideais para tratamento em Taubaté

Ambulância do transporte público em frente a Santa Casa de Aparecida; população aponta falhas no serviço (Foto: Arquivo Atos)
Ambulância do transporte público em frente a Santa Casa de Aparecida; população aponta falhas no serviço (Foto: Arquivo Atos)

Rafael Rodrigues
Aparecida

Mais uma vez o transporte de pacientes oferecido precariamente pelas prefeituras da região virou alvo de reclamação. Dessa vez, em Aparecida, a secretaria Municipal de Saúde foi obrigada a abrir sindicância para apurar supostas irregularidades no atendimento de uma idosa.

A família de uma senhora de oitenta anos denunciou o caso essa semana, alegando que a paciente precisava ir para Taubaté, mas o veículo oferecido não dispunha de nenhuma condição para atender as necessidades da idosa. Um vídeo publicado nas redes sociais mostra a dificuldade da senhora de subir no veículo. A publicação gerou revolta.

O conteúdo do vídeo mostra ainda o pedido de várias pessoas para que outro motorista pudesse levar a senhora, já que ela estava com muita dificuldade de entrar no veículo. Nas imagens, o funcionário nem ao menos parou para oferecer algum tipo de ajuda, e segue viagem sem auxiliar a idosa.

A repercussão da denúncia chegou até a secretária de Saúde do município, Maria Eliane de Moraes, que anunciou a abertura de uma sindicância para apurar as irregularidades, que pode acabar em punição aos envolvidos. “Nós temos como orientação do prefeito que tenhamos zelo com as pessoas. Evidentemente temos a consciência de que muita coisa precisa ser feita, mas nesse caso especifico, estamos tomando todas as providências e apurando as responsabilidades, a conduta do motorista, bem como toda equipe de transporte e manutenção”.

O que mais chamou atenção das pessoas que assistiram o vídeo foi a atitude de um dos motoristas da Prefeitura.

Quando a senhora conseguiu entrar, mesmo com muita dificuldade, as pessoas que acompanhavam o caso pediram para que um outro motorista que estava no local, com um carro mais confortável e vazio, levasse ela, entretanto, o servidor sequer parou para prestar algum tipo de esclarecimento.

De acordo com a responsável pela pasta, essa é uma das apurações que a sindicância deve apurar nos próximos dias, mas ela adiantou que o motorista não poderia levar a paciente para Taubaté porque seu cronograma de viagem era para Lorena.

“E isso que estamos apurando, a conduta do motorista, porque quando damos a ordem de serviço no dia anterior cada um vai para um destino, e esse carro ia para Lorena, mesmo estando no mesmo ponto pegando os pacientes, por isso não poderia levar essa senhora”.

A secretária confirmou ainda que o veículo que seguiu para Taubaté não era o ideal; “O veículo que seguia para transportar não só essa senhora, mas outros pacientes, quebrou, e então o motorista seguiu para garagem, e só tínhamos aquele veículo”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>