Prefeitura treina Guarda Municipal para reforçar segurança de Aparecida

Trabalho que conta com treinamento com a PM tenta oferecer qualificação de combate ao crime aos agentes

Guardas municipais de Aparecida recebem treinamento para reforçar o trabalho contra o crime na cidade (Foto: Reprodução PMA)
Guardas municipais de Aparecida recebem treinamento para reforçar o trabalho contra o crime na cidade (Foto: Reprodução PMA)

Rafael Rodrigues
Aparecida

Os guardas municipais de Aparecida passaram por treinamento na última quarta-feira. Ministrado pelos homens da Força Tática da Polícia Militar, o curso teve objetivo de aumentar os artifícios dos agentes para lidarem com situações de risco na tentativa de aumentar a sensação de segurança da população.

Entre as ações repassadas aos membros da Guarda Civil, a PM ofereceu instruções de defesa pessoal, abordagem e postura durante as ocorrências. A intenção é que outros módulos de treinamentos sejam oferecidos ao efetivo aparecidense, através da parceria entre PM e Prefeitura.

Para o comandante da Guarda de Aparecida, Gionavi Galle, o curso é importante devido ao número de ocorrências com abordagem dos agentes, que aumentou consideravelmente. “Solicitamos esse curso porque tem aumentado muito as prisões efetuadas pela Guarda Municipal de Aparecida. Por isso é importante aprimorarmos nossos agentes para que eles possam estar aptos a essas situações”, explicou o comandante, que disse ainda que só no primeiro semestre deste ano foram seis prisões efetuadas pelos agentes da Guarda. A parceria entre administração e forças de segurança deve englobar ainda a Polícia Civil e a PRF (Polícia Rodoviária Federal).

Indicadores da secretaria de Segurança Pública do Estado mostram que Aparecida tem evoluído em alguns aspectos, e preocupa em outros. Esse ano, o numero de furtos e roubos registrados até setembro foram menores do que em 2017.

Nos primeiros nove meses do ano foram 73 roubos e 333 furtos, número bem menor do que os registrados entre janeiro e setembro do ano passado: 172 e 561, respectivamente.

Em contrapartida, os casos de homicídios subiram 300% esse ano. Até setembro de 2018 foram registradas seis mortes, contra apenas duas ao longo de todo ano de 2017.

Atualmente com 47 pessoas, sendo 37 homens e 10 mulheres, a Guarda Municipal de Aparecida passou por uma reformulação estrutural, assim como as demais corporações pelo País, depois da alteração de um dispositivo legal que deu outras atribuições aos agentes municipais.
“Atualmente temos a Lei Federal 13.022/14, que regulamenta a Guarda e dá aos agentes o poder de Polícia, ou seja, estamos voltados mais efetivamente para Segurança Pública”, comemorou Galle.

Até então, os agentes que compunham a Guarda tinham obrigação de proteger bens, instalações e serviços municipais.
Entre as atividades, estavam incluídas tarefas como proteção escolar, além de organizar, controlar e fiscalizar o espaço público quanto a comércio e eventos.

Com aumento das atribuições, diversas cidades já articulam o armamento dos guardas municipais. Aparecida não foge à regra, e já há algum tempo tem se organizado para que o porte de arma seja uma realidade entre o efetivo.

Segundo o comando da Guarda, ainda não há um prazo para que isso aconteça. “Não tem prazo para armar guarda, mas tem sido feita uma preparação para os agentes, com a Polícia Federal. Os agentes passaram por avaliação psicológica e também pelo treinamento de tiros, com instruções teóricas e práticas para que haja o porte funcional com arma da instituição”, explicou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>