Prefeitura de Aparecida vai ouvir motorista após divulgação de fotos de van da saúde na praia

Veículo flagrado próximo a Martin de Sá levou crianças e idosos para exames no AME de Caraguatatuba

A van da Saúde, que levou pacientes de Aparecida no AME em Caraguatatuba, flagrada próximo a praia Martim de Sá (Reprodução / Facebook)
A van da Saúde, que levou pacientes de Aparecida no AME em Caraguatatuba, flagrada próximo a praia Martim de Sá (Reprodução / Facebook)

Da Redação
Aparecida

O transporte de pacientes de Aparecida voltou a ser tema de questionamentos na cidade. Uma foto publicada nesta quarta-feira mostrou um veículo da secretaria de Saúde da cidade, estacionado próximo à uma praia de Caraguatatuba.
Na publicação feita pelo vereador Carlos Rodrigo de Assis Wendling, o Diguinho (PP) em uma rede social, ele questionou à Prefeitura quanto a presença de uma van da Saúde próxima a praia Martim de Sá. De acordo com o texto, postado por volta das 13h, o veículo estava parado no local desde as 10h. “Quem flagrou foi uma amigo meu que mora próximo à praia Martin de Sá. Ele viu a situação e me mandou as fotos e disse que viu dois homens, três crianças e dois ou três idosos. Parecia uma família”, comentou o vereador.
Horas depois da publicação de Diguinho, a Prefeitura de Aparecida publicou um texto onde garante que o veículo da secretaria da Saúde foi até à cidade do Litoral Norte a serviço de transporte de pacientes e acompanhantes. “As consultas estavam agendadas para os períodos da manhã e da tarde. Entre os pacientes, estavam oito crianças que estavam agendadas para consulta de neuropediatria no período da manhã e exames de tomografia para o período da tarde no AME (Ambulatório Médico de Especialidades)”, contou a nota oficial, que seguiu. “Segundo relato do motorista, após a consulta, a pedido dos pais, o motorista levou as crianças para ver o mar. Na sequência, o grupo retornou ao AME aguardando os pacientes da tarde para retorno a Aparecida”.
A nota não confirma que a praia seria mesmo a Martin de Sá, que fica a cerca de seis quilômetros do AME, localizado na avenida Acre, no bairro Indaiá.
A secretaria de Saúde salientou que vai ouvir o motorista e os pais das crianças para avaliar possíveis medidas administrativas, já que “a conduta não está prevista e nem autorizada pela secretaria”.
Déjà-vu – Essa não é a primeira vez que o trabalho de transporte de passageiros de Aparecida é questionado por suposto uso irregular de veículos. Em dezembro 2013, a Prefeitura abriu uma sindicância para apurar uma denúncia do uso indevido de um micro-ônibus escolar, flagrado por um turista estacionado próximo à Praia Grande, em Ubatuba. Na época, a Prefeitura destacou que não havia autorização para a viagem.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?