MEC aponta que apenas 7 de 39 cidades do Vale atendem a média nacional de frequência mínima

Na sub região três, somente Aparecida e Areias apresentam resultado positivo em levantamento escolar; descumprimento de medidas pode resultar na remoção da famílias inscritas no Programa Bolsa Família

A saída de alunos da escola estadual Conselheiro Rodrigues Alves, em Guaratinguetá; de acordo com dados do MEC, cidade teve índice baixo (Foto: Juliana Aguilera)
A saída de alunos da escola estadual Conselheiro Rodrigues Alves, em Guará; segundo o MEC cidade teve índice baixo (Foto: Juliana Aguilera)
Juliana Aguilera
Região
O MEC (Ministério da Educação) divulgou nesta semana dados sobre a frequência escolar de alunos beneficiados pelo Programa Bolsa Família. Apesar do índice ter obtido a melhor média nacional dos últimos 12 anos, com 94,64%, apenas 7 de 39 cidades do Vale do Paraíba tiveram pontuação superior à média.Na sub região três, somente Aparecida, com 96,54%, e Areias, com 96,7%, apresentaram saldo positivo.Apesar da melhora nacional, os indicativos da região pioraram: a média do Vale foi de 88,80%.

As cidades que tiraram nota A representam 3,9 mil dos 86 mil crianças e adolescentes beneficiados pelo programa, menos de 5% do total. A exigência mínima de presença escolar é de 85% para estudantes de 6 a 15 anos e 75% para alunos de 16 e 17 anos.O descumprimento da condição resulta na remoção da família do programa. O acompanhamento da frequência dos alunos é dividido por prefeituras e Estado, e mobiliza aproximadamente 140 mil escolas em todo o Brasil.

Aparecida – Em nota, a secretaria da Educação da cidade informou que tem firmado programas e convênios com iniciativa pública e privada para dinamizar projetos pedagógicos. A secretaria também tem investido em atividades junto à comunidade aos sábados letivos.

Entre os projetos desenvolvidos ao longo do ano, foram citados o Programa Mais Alfabetização, Programa Mais Educação, do Governo Federal; Projeto Ler e Escrever e Emai (Educação Matemática nos Anos Iniciais), em parceria com o governo estadual; Projeto Educação para o Trânsito, com Santuário Nacional e MRS Logística e Guarda Municipal, e programa de conscientização sobre energia elétrica, da EDP Bandeirantes.

Guaratinguetá – O município registrou 91,08% de frequência escolar de alunos assistidos. Por nota, a secretaria da Educação afirmou que as escolas mantém contato com as famílias, buscando maior envolvimento dos pais na vida escolar dos filhos. O combate à evasão escolar é feito motivando alunos dentro da sala de aula e, em alguns casos, em conjunto com o Conselho Tutelar. O acompanhamento também é feito pela secretaria da Assistência Social.

O trabalho social realizado com as famílias pelo Cras (Centro de Referência de Assistência Social) busca incentivar o comprometimento dos responsáveis com a vida escolar dos filhos. “É um problema que assola Guaratinguetá. O trabalho de orientação é feito em conjunto com a Secretaria da Saúde, para que as famílias continuem no Bolsa Família”, afirmou o secretário da Assistência Social, Graciano Santos.

Outro fator mencionado pelo secretário para a nota da cidade no índice foi a entrega do Residencial Flamboyant. Segundo Santos, o deslocamento populacional deixou muitas famílias desorientadas com relação à transferência de seus filhos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>