Câmara de Aparecida afirma que Dina rejeitou devolução de R$ 50 mil, mas prefeita nega contato

Devolução de parte do duodécimo teria sido sugerida em 30 de março; Executivo garante que nenhum reunião com vereadores por proposta oficial foi realizada

A prefeita Dina Moraes, que negou contato da Câmara por repasse de R$ 50 mil; Fran Pé Sujo garante que fez oferta (Fotos: Marcelo A dos Santos)

Leandro Oliveira
Aparecida

A Prefeitura e a Câmara Municipal de Aparecida estão divergindo sobre o auxílio que a Casa teria oferecido ao Executivo para combater o coronavírus. O Legislativo teria proposto devolver uma parcela de R$ 50 mil do duodécimo, que é repassado mensalmente pelo Executivo à Casa. Segundo a direção da Câmara, a proposta foi recusada pela prefeita Dina Moraes (PDT). Mas o Executivo negou qualquer diálogo oficial.

Como forma de auxiliar financeiramente as prefeituras da região no combate ao coronavírus, algumas câmaras municipais fizeram devoluções de parte dos repasses feitos pelas prefeituras. Em Guaratinguetá, a Casa devolveu R$ 100 mil em março e vai devolver mais R$ 50 mil nos próximos dias. O recurso será injetado para aquisição de insumos para as equipes de saúde do município.

Em Cruzeiro, na última semana, o presidente Mário Notharangeli (SD) devolveu aos cofres da Prefeitura R$ 200 mil referentes à economia feita no primeiro trimestre de 2020. O cheque foi entregue nas mãos do prefeito Thales Gabriel Fonseca (DEM) e o valor será utilizado para ajudar a criação de cinco leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) na Santa Casa.

Em Aparecida, o diretor da Câmara, José Geraldo de Souza, afirmou que foi colocado à disposição da Prefeitura uma devolução de R$ 50 mil, que foi recusada num primeiro momento pela prefeita Dina Moraes. A iniciativa partiu do presidente da Casa, Francisco Egídio Monteiro ‘Fram Pé Sujo’ (MDB). “No último dia 30 teve uma reunião da prefeita com os vereadores. Nesse momento o presidente da Câmara se dispôs a fazer uma devolução. Faríamos uma economia para colaborar com a cidade e com os munícipes”, destacou Souza.

Ainda de acordo com o diretor, após a Casa ter oferecido uma fatia do duodécimo como auxílio, a proposta foi colocada como segunda opção pelo Executivo. “Ele (presidente da Câmara) se dispôs, só que a prefeita falou que estava aguardando repasses da União e do Estado e falou que não queria ter esse dinheiro agora. Ela disse que se precisar, vai mandar o duodécimo a menor para Câmara”, afirmou o diretor. “Em princípio ela descartou a ajuda da Câmara nesse sentido pois ela aguarda a vinda de recursos”, concluiu.

O repasse mensal feito pela Prefeitura à Câmara é de aproximadamente R$ 378 mil. A devolução seria possível, devido a diminuição do trabalho e das tarefas da Casa durante o período de quarentena. A economia gerada com viagens, diárias, combustíveis e materiais de escritório e permanentes geraria algo em torno de R$ 50 mil, que seriam devolvidos ao Executivo.

Inverídica? – A Prefeitura de Aparecida foi procurada para responder e rebateu a declaração do diretor da Câmara. Por meio de nota do departamento de Comunicação, o Executivo nega ter recebido proposta formal da Casa para devolução de recursos. “Não houve reunião pra discutir esse assunto e não recebemos essa proposta de forma oficial”.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?