Após cinco meses parado, Aparecida retoma turismo

Com novos decretos, bares, restaurantes e hotéis já estão liberados, mas com restrições; feira livre somente em setembro

Verificação de temperatura no acesso às dependências do Santuário Nacional; cidade retoma turismo (Foto: Reprodução Santuário Nacional)

Marcelo Augusto dos Santos
Aparecida

As atividades econômicas voltadas ao turismo começam a ser retomadas em Aparecida, após o governo do Estado avançar a RMVale (Região Metropolitana do Vale do Paraíba e Litoral Norte) para a fase amarela do Plano São Paulo na última semana.

Liberados por decretos e protocolo de segurança, Santuário Nacional e Centro de Apoio ao Romeiro retomaram suas atividades no final de julho e começo de agosto, respectivamente.

O shopping estava fechado há cinco meses e concentra 350 lojas, duas praças de alimentação e um aquário. De acordo com o Santuário, para entrar no centro de compras, os visitantes devem acessar o principal acesso que é marquise (corredor central) de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h e aos finais de semana das 5h às 18h. O aquário, que é uma das atrações turísticas, continua fechado e ainda não tem uma projeção de quando irá retomar sua atividades.

O longo corretor está cercado de gradil e os outros acessos foram fechados e direcionado para o central, onde funcionários aferem a temperatura dos romeiros.

As lojas em sua maioria são conhecidas por serem pequenas e com isso a uma facilidade para gerar aglomerações. Questionado como evitar isso, o porta voz do Santuário Naciona, Márcio Balieiro, informou que a fiscalização será de responsabilidade dos lojistas. “Nós tivemos aqui a presença da fiscalização da Prefeitura, que orientou a cada lojista(…). Esse controle ficou com a responsabilidade dos lojistas, então eles tem a marcação no piso conforme o decreto municipal e contamos com essa colaboração”.

Há mais de vinte anos como locatário de um box no centro comercial, Vicente Barbosa, de 56 anos, teve que fazer um empréstimo junto ao um banco para se manter durante o fechamento do estabelecimento. Além disso, teve que dispensar os colaboradores, pois não tinha recursos para mantê-los. “Está muito devagar ainda, pois as pessoas estão se adequando ‘devagarzinho’ (sic), mas com o passar dos dias, estamos vendo um maior fluxo de pessoas”.

Para Barbosa, o movimento deve melhorar quando os ônibus de turismo poderem entrar na cidade. Atualmente, veículos estão proibidos e apenas carros com até sete lugares estão liberados. 

Os restaurantes, lanchonetes e redes de fast food podem voltar a operar cidade. A prefeita Dina Moraes Moreira (DEM), assinou um decreto determinando as regras para que essa categoria possa retomar.

Segundo o documento, “estabelecimentos localizados em shopping, galeria e similares terão horário de funcionamento das 10:00 às 16:00 horas diárias de segunda a domingo, com limitação de 40% da capacidade, podendo funcionar após as 16:00 horas somente no sistema Drive Thru, Delivery e Take Away (retirada no local)”.

Restaurantes de hotéis, pousadas e similares também foram liberados e podem operar também com uma capacidade máxima de 40%.

Segundo Balieiro, as mesas instaladas nas duas praças de alimentações são removíveis e dando espaço de dois metros como é estipulados por órgãos de saúdes do país.

Feira Livre – Em decreto publicado nesta terça-feira (12), a Prefeitura destaca que Feira Livre voltaria a funcionar no próximo sábado, mas na última segunda-feira (10), representantes dos feirantes estiveram na sede do Executivo para uma reunião, quando pediram para que volta seja feita no dia  de setembro, já com a expectativa para o retorno dos ônibus de turismo e a maior movimentação de romeiros.

 

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?