Aparecida promete resolver iluminação pública antes do Carnaval

Prefeitura contrata empresa em caráter emergencial para troca de lâmpadas queimadas

Rafael Rodrigues
Aparecida

Depois de um ano, um dos principais desafios de Aparecida está perto de chegar ao fim. A troca das lâmpadas queimadas da iluminação pública promete ser resolvida no término desse mês com a contratação emergencial de uma empresa que fará a substituição de aproximadamente oitocentos pontos na cidade.
Desde janeiro de 2015 a responsabilidade do serviço é do Executivo, entretanto, ao longo do ano nenhuma licitação foi concluída, mesmo depois de três tentativas.
De acordo com o secretário de Administração, Domingos Leo Monteiro, várias licitações foram abertas para contratação de empresas para fornecer o material necessário para realização do serviço, e que depois de tantas tentativas frustradas de concorrência para contratar uma empresa para fazer o trabalho, a Prefeitura optou por um contrato emergencial. “A Prefeitura abriu a licitação para contratar a empresa, mas ela foi suspensa por trâmite de edital, e o Tribunal demorou a analisar. Nesse período fizemos a licitação para contratar a empresa que vai fornecer o material elétrico. Tivemos algumas empresas que venceram em diferentes itens. Optamos, por fim, fazer um contrato emergencial para solucionar o problema” explicou.
Monteiro afirmou que os postes decorativos que também apresentavam problemas já começaram a ser trocados, já que a administração municipal realizou outro processo para contratar uma empresa à parte para realizar esse serviço. “As iluminações decorativas e baixas, em áreas como praças, jardins e pontos de ônibus, uma empresa já esta trabalhando”.
De acordo com os dados apresentados, o contrato da empresa gira em torno de R$40 mil, para recuperação de oitocentos pontos escuros na cidade. “As empresas estavam em recesso, e agora com o retorno estamos aguardando a chegada dos materiais para que até o fim do mês seja feito o serviço”.
A justificativa é que inicialmente houve a mudança do prazo para que a prefeitura assumisse o serviço, e em seguida a administração abriu as licitações, mas houve impugnações e quase sempre protelatórias, e as analises de edital deram vários problemas. “Por isso, conforme a lei prevê, conseguimos a contratação emergencial. Não poderíamos ter feito inicialmente, mas como foi a terceira vez que abrimos a licitação, a Justiça nos permite fazer a contratação emergencial”, explicou Monteiro.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?