“10ª Semana da Arte” preserva legado do trabalho de artesãos em Silveiras

Edição de festival tem últimos dias com competição de artesanato e shows musicais na cidade

Eventos musicais fazem parte de programação de evento que luta para manter trabalho de artistas da cidade em evidência; edição 2018 conta com concursos e exposições (Foto: Divulgação)
Eventos musicais lutam para manter trabalho de artistas da cidade em evidência; edição 2018 tem concursos e exposições (Foto: Divulgação)

Lucas Barbosa
Silveiras

Na busca de novos admiradores e para manter viva a tradição do artesanato de Silveiras, a Aspa (Associação Silveirense dos Produtores de Artesanato) realiza até este final de semana a décima edição da “Semana da Arte”.

Além de concursos e exposição de obras artísticas, o evento conta com diversas atrações musicais e gastronômicas.

Fundada em 2007 por um grupo de artesãos, a Aspa promove ações que visam integrar os artistas da cidade e divulgar a beleza de seus trabalhos. Uma dessas iniciativas é a organização da tradicional “Semana da Arte”, que desde a última segunda-feira é realizada no Rancho do Tropeiro, localizado na região central do município.

A festividade, que conta com o apoio da Prefeitura, oferece até o próximo domingo shows musicais, barracas com comidas típicas e exposições de artesanatos, além de um concurso entre os artesãos, que devem criar obras com o tema “Silveiras que Queremos”. O vencedor será divulgado no fechamento da festa, na noite deste domingo. “Convidamos todos os moradores e artistas da região a prestigiarem a Semana da Arte, que tem como meta manter viva a tradição do artesanato silveirense. Fizemos o possível para organizar um evento à altura da relevância histórica de nossa arte”, afirmou o presidente da Aspa, Oséias Carvalho.

A partir das 20h deste sábado, os expectadores acompanham as apresentações banda de rock Princípio Ativo e das duplas sertanejas Lui do Vale e Dodô e Felipe e Giovani. Já no domingo, é a vez do Grupo Harmonia Musical, Daniel Violino, Trio do Vale e a Banda da Polícia Militar de São José dos Campos.

Herança – De acordo com a Aspa, o artesanato ganhou força em Silveiras a partir do início da década de 1980, quando o artista João Camilo Pena, que morava em São Paulo, mudou-se para o município.

Durante uma viagem à São Sebastião, no Litoral Norte, João Camilo conheceu artistas que confeccionavam pássaros de madeira. Através desta inspiração, o morador de Silveiras começou a reproduzir trabalhos semelhantes, exaltando a beleza das aves brasileiras.

Desde então, a tendência foi seguida por outros adeptos, contribuindo para que o artesanato se transformasse no principal atrativo turístico do município, e consequentemente um importante gerador de renda para o comércio. “Um dos principais objetivos da Associação é que os artesãos de Silveiras atuem de forma mais integrada. Queremos despertar nos artistas a mentalidade de que o artesanato não é somente uma fonte de recursos, mas sim um pedaço da história do nosso povo e cidade”, concluiu Oséias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>