Isael Domingues e donos de salões e barbearias debatem pedido de abertura

Proprietários aguardam decisão do Estado para retornarem às atividades em Pindamonhangaba; empresas têm dificuldades para enfrentar a crise

Centro comercial de Pindamonhangaba; empresários debatem nova flexibilização com o prefeito Isael Domingues (Foto: Bruna Silva)

Bruna Silva
Pindamonhangaba

Como forma de mediar a crise, o prefeito Isael Domingues (PL) recebeu, nesta semana, profissionais de beleza da cidade junto ao Comitê de Enfrentamento a Covid-19, no Paço Municipal. O objetivo foi dialogar com os proprietários para buscarem saídas e retomarem os serviços.

Há um mês, o município atendeu ao pedido judicial para o fechamento de salões e barbearias, fato que indignou diversos trabalhadores do ramo. Desde então, houve duas manifestações pelas ruas centrais e coleta de cerca de 1.500 assinaturas num abaixo-assinado. Apesar dos empenhos dos profissionais, até o momento as atividades estão impedidas.

Durante a reunião, a Prefeitura afirmou que protocolou no Tribunal de Justiça de São Paulo recurso contra a ação judicial que determinou o fechamento desses estabelecimentos. Domingues ainda aproveitou o momento para enfatizar que “desde meados de abril, entendemos que os salões e barbearias, de forma regrada e agendada, em nenhum momento iriam contribuir para disseminação do vírus. Entretanto no começo de junho fomos surpreendidos com uma ação direta de inconstitucionalidade do nosso decreto e por força de lei fomos obrigados a seguir o decreto estadual”.

Para o barbeiro Átila Eufrazio, de 35 anos, a reunião não foi promissora, pois “esperava algo mais”, mas ainda há a expectativa para uma nova posição estadual acerca do Plano São Paulo. Os trabalhadores esperam que a cidade avance para a fase amarela (em que as atividades poderão ser retomadas) ainda nesta semana.

Eufrazio lembrou que diversos colegas estão mal devido às situações causadas pela crise, tanto emocional quanto financeiramente. “E o aluguel e as contas vão chegando. Muitos não conseguiram receber (o auxílio emergencial), estamos trabalhando com arrecadação de alimentos para ajudar os colegas”.

Como meio de colaborar com os colegas, ele mesmo se dispôs arrecadar mantimentos. Os interessados em ajudar podem entrar em contato através do telefone (12) 99152-0242.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?