Ubatuba adota mudanças para combater pandemia

Novo decreto de Sato amplia quarentena; sistema privado pode absorver demanda pública de pacientes

Praia do Português, na orla de Ubatuba; cidade reforça fiscalização para evitar acesso de moradores e turistas (Foto: Rafaela Lourenço)

Lucas Barbosa
Ubatuba

Apesar de Ubatuba não ter casos confirmados de novo coronavírus (Covid-19), o prefeito Délcio Sato (PSD) baixou um novo decreto na última terça-feira (7) que estende o período de quarentena e determina outras três medidas para reforçar o setor da Saúde. Além destas ações, o Município intensificou nesta semana as fiscalizações em praias para evitar o acesso de moradores e turistas.

Publicado no site oficial da Prefeitura, o decreto informa que, atendendo à recomendação do Estado, o período de quarentena foi prorrogado para até o próximo dia 22. Além da recomendação para que os moradores permaneçam em isolamento social, a medida garante que siga em vigor a determinação, anunciada por Sato no último dia 19, para que continuem abertos apenas estabelecimentos comerciais considerados essenciais como: açougues, bancos, casas de rações animais, farmácias, padarias e supermercados.

Também segue válida, a proibição da circulação de pessoas nas praias e cachoeiras da cidade, instituída desde o último dia 23. Durante fiscalização na manhã da última terça-feira na praia Itambuca, a Guarda Civil Municipal deteve dois surfistas. Flagrados no mar, os homens, de 20 e 44 anos, foram encaminhados à Delegacia de Ubatuba para prestarem depoimento. A dupla responderá em liberdade por crime contra a saúde pública, correndo o risco de ser condenada até um ano de prisão.

Além da ampliação da quarentena, o novo decreto municipal define diversas medidas preventivas na área da Saúde. Enquanto a primeira exige que pacientes com suspeita de coronavírus tenham atendimento prioritário nas unidades de saúde da cidade, a segunda estabelece que servidores municipais de outras secretarias poderão ser remanejados para a de Saúde caso seja necessário o reforço de agentes em ações de combate e prevenção ao Covid-19.

Já a última medida, determina que caso o sistema público de Ubatuba não consiga suportar o fluxo de pacientes infectados pelo coronavírus, os estabelecimentos particulares de saúde poderão ter seus prédios, equipamentos e funcionários requisitados para colaborarem na demanda de atendimentos.

Dados – Divulgado na tarde desta quarta-feira (8), um boletim da secretaria de Saúde de Ubatuba revelou que a cidade tem 4 mortes e 66 casos suspeitos de coronavirús, sendo que três pacientes seguem internados. Em contrapartida, 14 registros já foram descartados.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?