Soliva antecipa recarga de vale transporte de servidores como forma de socorro à Oceano

Prefeito descarta abertura de crédito de R$ 1 milhão; Prefeitura vai antecipar compra de três meses paga garantir caixa de trinta dias para empresa

Linha da Rocinha do TUG; debate sobre aporte tem medida de Soliva (Foto: Francisco Assis)

Leandro Oliveira
Guaratinguetá

O socorro financeiro, pedido pela empresa Rodoviário Oceano, será feito por meio da antecipação da recarga de cartões do transporte coletivo em Guaratinguetá. O prefeito Marcus Soliva (PSC) confirmou que antecipará três meses de recarga dos cartões para os servidores municipais. O valor gerado com a recarga antecipada vai para os cofres da Oceano e assegura trinta dias de pagamentos de folhas salariais e combustível.

A Prefeitura paga R$ 130 mil por mês com os cartões do transporte coletivo para seus servidores. Antecipando os meses de junho, julho e agosto, o Executivo vai pagar entre R$ 330 e R$ 390 mil de uma só vez. A Oceano tem uma despesa média mensal de R$ 330 mil com folha salarial e combustível e viu sua arrecadação sucumbir mais de 85% desde o início da pandemia do novo coronavírus. O pedido de socorro foi feito para manter os serviços ativos.

Em coletiva de imprensa na última terça-feira, o prefeito confirmou que apresentou a proposta para a empresa e recebeu um retorno positivo da Oceano. A antecipação da recarga dos cartões será feita. “A gente faz o carregamento mensal dos cartões. Fizemos a proposta de fazer o carregamento trimestral. Com isso, ela teria esse incremento financeiro, antecipando, esses três meses, que já é previsto na lei orçamentária, para que ela possa honrar seus compromissos trabalhistas, insumos, de forma que ela não interrompa o transporte coletivo”, explicou Soliva.

Para prestar os serviços ao município, a Oceano depositou R$ 2 milhões de outorga, que serão investidos em melhorias no transporte público municipal e na aquisição de pontos de ônibus. Aproximadamente R$ 1,05 milhão será investido. O prefeito foi indagado se parte da outorga poderá ser destinada à Oceano, futuramente, caso o período de isolamento social devido a pandemia do novo coronavírus se estenda.

“Esse é um caminho que nós cogitamos esses dias, a utilização da outorga, que a empresa depositou na conta da Prefeitura. Está lá, aplicado”, afirmou. “Esse dinheiro nós estamos objetivando investir na melhoria da infraestrutura do transporte coletivo e na segurança do transporte público”, justificou o prefeito, que citou, além dos pontos de ônibus, a colocação de lombofaixas nas portas das escolas da cidade. As duas medidas terão como fonte de recursos os valores da outorga.

Antes de tomar a decisão, a Prefeitura havia encaminhado à Câmara uma solicitação de abertura de crédito especial para a empresa Oceano. Nessa abertura, poderia ser liberado R$ 1 milhão para pagamentos das despesas da concessionária por três meses. Porém o Executivo retirou o projeto na última segunda, após reunião com o departamento jurídico da Casa.

 

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?