Prefeitura, Câmara e Viva Pinda discutem reclamações e melhorias do transporte público

Aglomerações em ônibus, linhas e horários são pauta de reunião; há mais de uma década na cidade, empresa de transportes é alvo de reclamações sobre serviço

Transporte público de Pinda, que passa por debates com cobranças de usuários e empresa  (Foto: Bruna Silva)

Bruna Silva
Pindamonhangaba

Diante das várias reclamações da população acerca dos serviços prestados pela Viva Pinda, a Prefeitura se reuniu, nesta quinta-feira (18), com a diretoria da empresa e vereadores para discutir melhorias. A principal reclamação dos moradores está centralizada na lotação dos ônibus durante a pandemia, o que eleva o risco de contaminações.

A Prefeitura destacou que as discussões focaram a aglomeração de pessoas nos ônibus, a ausência de atendimento na zona rural, a falta das linhas e horários e questões trabalhistas e acordos que precisam ser cumpridos entre os funcionários e a Viva Pinda.

Sobre o processo de licitação do transporte público, o prefeito Isael Domingues (PL) enfatizou o impacto do cenário de incerteza, causado pela pandemia da Covid-19, abordando também a conveniência em dar andamento ao processo.

A Viva apresentou dados levantados a partir do Índice de Passageiros por Quilometro, que sinalizou queda anual dos números e os desafios de administrar o transporte público. Os responsáveis indicaram ainda a operação do transporte clandestino, como meio que prejudica a implementação de novas linhas e horários.

Ainda em março do ano passado, a Viva Pinda havia retirado os cobradores das linhas rurais. No mesmo período, a empresa reduziu parte das linhas como forma de diminuir a circulação de pessoas na cidade, em conformidade aos decretos de restrição de fluxo.

Com a retomada de parte das atividades comerciais e a necessidade de maior uso do transporte público, são várias as reclamações de usuários do sistema sobre o atendimento e falta de ônibus em parte dos horários. Um morador da cidade utilizou as redes sociais para apontar a aglomeração dentro do ônibus. Segundo ele, faltava protocolos de segurança para garantir a saúde dos passageiros.

O contrato com a Viva Pinda foi renovado no início deste ano. No período de renovação, o Município ressaltou que a última licitação para o transporte público foi feita em 2004 e que há quase quatro anos a atual gestão deu início às audiências públicas e avaliações para a melhoria da demanda na cidade.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?