Polícia Militar solicita terreno para nova sede em Guaratinguetá

Unidade pode ser construída em terreno doado pela Prefeitura à Câmara, em 2014; ofício é entregue ao prefeito

Capitão Guimarães (à esq.) em conversa com Soliva (à dir.), na apresentação de projeto para a nova sede (Foto: Leandro Oliveira)

Leandro Oliveira
Guaratinguetá

O comandante da Polícia Militar em Guaratinguetá, capitão Wagner Guimarães, realizou uma apresentação na Câmara Municipal sobre as deficiências e vantagens da mudança de sede da Companhia na cidade.

A PM pleiteia a doação de um terreno para construção da nova unidade. Atualmente, a sede está instalada em um prédio de uma antiga escola, na Figueira.

Na Câmara, o militar elencou os números da polícia no combate ao crime e os motivos favoráveis para a mudança de sede. O assunto já foi abordado, extraoficialmente no ano passado, mas não teve prosseguimento. Neste ano, o comandante conseguiu demonstrar aos vereadores e ao prefeito Marcus Soliva (PSC), que também esteve na apresentação, as razões para instalar a Companhia da PM em outro local. “A gente já identificou algumas nuances que vão impactar diretamente na segurança. Isso foi apontado, foi apresentado aos gestores da cidade, tanto prefeito quanto vereadores. Foi apresentado o local propício que atenda o interesse público e agora vai caber a decisão dos gestores a doação de um terreno, para que o Governo do Estado, Polícia Militar, dê andamento para construção da nova sede”, destacou Guimarães.

Segundo o comandante, foram disponibilizados três locais para a construção, mas dois deles não seriam viáveis, devido à distância da área central da cidade. A terceira opção, fica na avenida Ariberto Pereira da Cunha, próximo a FEG (Faculdade de Engenharia de Guaratinguetá), e foi apontada pelo capitão como ideal para construção da nova sede da Polícia Militar.

O prefeito informou que a Polícia Militar precisa oficiar o Executivo sobre o interesse pelo terreno, doado em 2014 na gestão de Francisco Carlos (PSDB), para construção da nova sede da Câmara. “Eu pedi, após a apresentação, para oficiarem a Prefeitura sobre o interesse efetivo pela área e a Prefeitura vai oficiar a Câmara da possibilidade de ceder a área para a Polícia Militar. Nós respeitamos os poderes. Se a Prefeitura fez a doação para a Câmara, é preciso haver o entendimento que se faça a lei reversa, recebendo o terreno novamente”, informou Soliva.

O presidente da Câmara, Arilson Santos (PSC), afirmou que debaterá o assunto com cautela com os demais parlamentares. “É uma questão difícil de se resolver, mas a gente tem que unir forças para achar o melhor caminho possível”, respondeu. “Firmo o compromisso de sentar com os demais vereadores e debater esse assunto”, concluiu.

Nesta terça-feira (23), Guimarães confirmou que entregou o ofício para dar início à novas condições de trabalho aos policiais militares de Guaratinguetá. O documento, que solicita a doação do terreno para construção da nova sede da Polícia Militar, foi entregue ao prefeito Marcus Soliva.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?