Polícia investiga atentado a tiros contra PT de Caraguá

Equipe de candidato a prefeito é surpreendida no Jardim Britânia; atirador tem pistola apreendida

Correligionários do PT vão à delegacia para prestar queijo após ofensas contra grupo político (Foto: Reprodução)

Lucas Barbosa
Caraguatatuba

A Polícia Civil coletou o depoimento no último domingo (18) do homem acusado de efetuar disparos de arma de fogo, para o alto, após ofender o candidato a prefeito de Caraguatatuba, José Mello (PT), e outros quatro integrantes do Partido dos Trabalhadores. O caso ocorreu na noite da última sexta-feira (16) em um ponto movimentado da cidade litorânea.

De acordo com a Polícia Civil, o morador, que possuí licença de praticante de tiro, se apresentou à Delegacia de Caraguá para prestar esclarecimentos sobre as acusações feitas contra ele no boletim de ocorrência registrado por Mello no último sábado (17).

Em sua versão, o homem afirmou que efetuou quatro disparos para o alto, pois temia ser agredido pelos integrantes da comitiva após uma discussão em um trecho da Rua 12, do bairro Jardim Britânia, que conta com diversos trailers de lanches.

Após prestar depoimento, o indiciado por disparo de arma de fogo teve sua pistola, calibre nove milímetros, apreendida pela Polícia Civil.

O investigado foi liberado na sequência, mas deverá ser intimando a depor novamente até o fim desta semana.

Além de ouvir testemunhas que presenciaram o fato, a corporação deve analisar imagens de câmeras de segurança da região para descobrir se o caso se trata de um atentado ou de uma rixa.

Presente no momento dos tiros, a vice-presidente do PT de Caraguá e candidata à vereadora, Cássia Gonçalves, acredita que o ato foi um atentado político. Segundo ela, o acusado, que é apoiador do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), já havia postado ofensas nas páginas de Mello e de outros candidatos da sigla em uma página do Facebook.

Contradizendo o atirador, Cássia afirmou que o grupo não ameaçou sua integridade física. “Estávamos de saída do trailer de lanches, quando esse rapaz estacionou o carro do outro lado da rua e começou a nos ofender, gritando que o PT é defensor de ladrão e que não se criaria em Caraguá. Percebendo que ele estava muito exaltado e não tinha como argumentarmos, continuamos nosso caminho. Ao virarmos as costas, ele  deu quatro tiros para o alto”.

Além de cobrar uma punição legal ao homem, a vice-presidente do PT desabafou sobre o caso. “Estamos indignados com essa situação, que foi um ataque à democracia. Apesar deste episódio lamentável, não nos intimidaremos. Seguiremos nas ruas apresentando nossas propostas à população”.

Além de Mello e de Cássia, estavam também no local dos disparos, o presidente do PT de Caraguá, Luan Moreno, a candidata à vice-prefeita, Maira Martins, e seu marido, Ricardo Ribeiro.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?