Lojas Teddy são reabertas na quarentena após mudança de classificação de atividades e já registram filas

Rede retomou trabalho com abertura de unidades; Lorena e Cruzeiro têm avaliação de registro e Pinda suspende retomada

Flagrante de filas na Teddy de Pindamonhangaba, nesta terça-feira; cidade barrou retomada por problema com alvará (Foto: Bruna Silva)

Bruna Silva
RM Vale

Após a alteração no registro Cnae (Classificação Nacional de Atividades Econômicas) as unidades da rede Lojas Teddy retomaram as atividades, nesta terça-feira (19), na RMVale (Região Metropolitana do Vale do Paraíba e Litoral Norte). Depois de anunciar a reabertura de unidades pela região, a rede encontrou barreiras em Lorena, Cruzeiro e Pindamonhangaba.

De acordo com o presidente da Aceg (Associação de Comercial e Empresarial de Guaratinguetá), Ricardo Teberga, anteriormente não constava a predominância da comercialização de mantimentos para a loja. “Então ele (o responsável) foi até a junta comercial do estado de São Paulo e fez a alteração do contrato social, onde colocou a atividade com predominância em produtos alimentícios”, destacou.

Foi assim que a empresa conseguiu caracterizar a Teddy como atividade comercial permitida pelos decretos municipais da região, que permitem o funcionamento de estabelecimentos essenciais, como os que fornecem alimentação. Em Guará as lojas estão abertas normalmente.

Até a tarde desta terça-feira, a informação em Pinda era de que a Teddy havia retomado as atividades, com direito a flagrantes de filas. Até o fechamento desta edição a Acip (Associação Comercial e Industrial de Pindamonhangaba) ainda não havia se pronunciado sobre o caso.

No início da noite, a informação de que a loja não poderia seguir aberta devido a alteração foi realizada na receita e não no alvará de funcionamento. Como a Prefeitura não está emitindo alvarás, a empresa não deve ser reaberta na cidade.

Outra alteração aconteceu em Lorena, que aguardava uma conclusão de um pedido judicial ao promotor local. Na noite da terça-feira, a informação era de que a empresa seguia atendendo por meia de whatsapp.

Em Cruzeiro, a loja teve de ser fechada novamente devido ao um embate com o Sindicato do Comércio.

De acordo com as medidas de prevenção contra a Covid-19 em São Paulo, o comerciante deve obedecer às normas de distanciamento, estabelecer filas com espaçamento entres os clientes, além de disponibilizar álcool em gel para higienização das mãos.

Havan – Após a decisão de uma liminar feita pela juíza Maria Isabella Carvalhal Braga, no último dia 13, a loja de departamentos voltou a exercer suas atividades as margens da rodovia Presidente Dutra, em Lorena. O entendimento foi de que o estabelecimento faz parte da categoria de hipermercados – que está permitida a trabalhar pelo decreto municipal. Justificando a reabertura, a defesa enfatizou que há o comércio contínuo de produtos de higiene pessoal e alimentícios.

 

 

 

 

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?