Política a conta-gotas…

Três em um

O PSOL de Cruzeiro, pela segunda eleição consecutiva, soma três candidatas em uma candidatura à Câmara. Para melhor entender, a ideia é que as três postulantes Fernanda, Dayane e Clara, se eleitas, ocuparão uma só vaga e compartilharão o mandato, provavelmente revezando as participações nas sessões.

Ah! Essa modalidade de candidatura é permitida, segundo a Justiça Eleitoral, o proibido é o contrário, quando vários se elegem e um passa ou tenta comandar a vontade dos demais no chamado ‘cabresto’.

Qualquer semelhança com o que a população tem visto no Legislativo da cidade, não se trata de mera semelhança. Perguntem ao ainda vereador Paulo Vieira!!!

Balanço geral

Muitos, procurando entender o apelo popular de Lorena para não reelegerem os atuais vereadores, estão buscando explicações nos fatos mais relevantes desta legislatura:

Esta semana por exemplo, o ‘notável’ Elcio Vieira Jr., entre uma avalanche de arbitrariedades, escrachos, desrespeito, abusos e muitas pendências na Justiça, conseguiu tirar o alimento do prato de 5.132 famílias carentes do município, prejudicando a votação do projeto do prefeito que daria mais uma parcela de $150 reais do Programa de Auxílio Emergencial da Prefeitura;

Fábio Longuinho – que satisfazendo seus recalques de emergente, acabou com a expectativa de 100 postos de empregos na cidade, quando conspirou a extinção da Lei da Zona Azul, e criou uma futura dívida indenizatória para o município pagar no futuro à empresa que havia sido contratada para implantação;

Tão do Vaguinho, também apelidado de ‘tanga frouxa’ – conseguiu a proeza de tomar conta do dinheiro da Câmara por dois anos, com um conjunto de obras inconclusas como: telhado de Eternit a preço de ouro e contratação de empresa de fachada com quarteirização de mão de obra, gastos e despesas sem as devidas prestações de contas, admissão de um exército de comissionados e responde no Ministério Público por contratações irregulares entre outras peripécias com o dinheiro público;

Samuel de Melo além de estar passando pelo Legislativo sem sequer ter um projeto aprovado para ‘chamar de seu’, uma de suas únicas façanhas foi defender com ‘unhas e dentes’ a redução do imposto da Unimed entidade meramente particular com os fins justificando os meios, empregar a família no hospital;

Mauro Fraudique campeão da dissimulação, consegue manter a pose e o discurso entonado, mesmo amarrado pelos acordos que o fizeram presidente da Câmara, como omitir os números da administração de seu antecessor o Tanga, a manutenção da assessoria dos aliados e, entre outros o contrato de mais de $800 mil de uma agência que banca os capangas eleitorais do grupo. Sua gestação, digo, gestão, poderá bater o recorde da mais onerosa do Legislativo, perdendo apenas para o período do ‘Irmão Metralha’;

Adevaldir Ranho – protegido pela trinca que pretende tomar o comando da cidade, que consegue se manter ativo no Legislativo mesmo respondendo pelo crime de concussão a famosa rachadinha nos salários dos assessores e com indicação do MP para cassação de seu mandato. O persona é um velho cliente na Justiça de primeira instância por vários predicados;

Careca da Locadora outro bon-vivant, que somadas suas idas e vindas à Brasília às custas do erário público, daria para dar ‘três voltas ao mundo’. Sempre atuou no marketing do Facebook sem registro de nenhum projeto relevante de sua autoria. Principal pivô do voto fantasma no esquema de anular a proposta do meio ambiente conhecida como PPP do lixo, segue sem revelar quem votou em seu lugar. Passou os quatro anos à mercê da vontade do comparsa que ‘meiou’ seu mandato;

Lucia da Saúde – locomotiva eleitoral da sua coligação na eleição passada, arrastou para legislatura Elcinho e Careca e não conseguiu se libertar do cabresto do ‘eucalipto’, na base de ‘se apertar chora’, mas obedece;

Pedro da Vila Brito – perdeu totalmente sua identidade de ‘bom samaritano’ e foi controverso durante este mandato por se render em obediência cega ao filho do professor, em detrimento ao Executivo Municipal. Com facilidade, esqueceu de muitos que lhe estenderam a mão, se revelando um falso moralista.

Pardal que acompanha…

…morcego, amanhece de cabeça para baixo metáfora dedicada ao ‘veterano’ da Câmara de Lorena, o Vandinho, recentemente apelidado de ‘Vandinho Cache’, só não perguntem por quê?

De Uber ou de táxi?

Enquanto o candidato a prefeito de Pinda, Rafael Goffi (PSDB), decide se continua discutindo na Câmara se vai de Uber ou de táxi, seu concorrente Luiz Rosas (PTB), com seu vice João Ribeiro, ganham as ruas atrás dos eleitores indecisos e de tucanos desiludidos, que não são poucos. Talvez seja por isso que apareceu ‘cheiro de Rosas’ se despontando nas prévias eleitorais. Que ninguém, ou melhor, candidatos subestimem a dupla…

Reino dividido

Pelo desenrolar da campanha eleitoral em Guaratinguetá, se tornou ainda mais notória a ‘oposição velada’ contra o prefeito Marcus Soliva (PSC) que busca a reeleição. Comentam pelos corredores da municipalidade que a dissimulação entre os servidores aqueles que expressam uma subserviência, porém, nas urnas, outra realidade pode passar da metade do contingente, principalmente no setor da Educação.

Distanciamento social

Parece que o clima amistoso voltou entre o ainda vereador Paulo Vieira e sua ex-diretora da FACIC, Patrícia Batistela, no cenário político de Cruzeiro. Disseram que os bons tempos voltaram, mas segundo os comentaristas da Câmara, o PV mediu um palmo no mapa para transferir Patrícia na direção de uma outra escola no extremo do estado, provavelmente pela sua ascensão eleitoral na cidade.

Jogo de xadrez

Se das cinco candidaturas à Prefeitura de Cachoeira, duas desistirem na reta final por ‘n’ motivos, com certeza não será para somar com o candidato apoiado pelo atual comando da cidade. Por hora, Elbom Fontes (PROS), Dadá Diogo (PODEMOS), Domingos Geraldo (PSDB), Antônio Mineiro (MDB) e Torrado (PSB) seguem candidatos, três deles às despensas do fundo partidário. Vai que o povo lá de cima resolve dar o calote…

Não é promessa, é proposta!!!

Os moradores do Novo Horizonte, em Lorena, estão comemorando a notícia da vice prefeita Marietta Bartelega de que um de seus primeiros compromissos com o bairro, será a remoção do aterro de inertes – o popular lixão – do bairro. E pelo aplauso da torcida, o povão já está contando com este benefício, principalmente pelo estilo que se ouve da filha da saudosa Regina Bartelega, “de quando fala que vai fazer, faz as coisas acontecer”.

De olho no calendário…

Faltam 33 dias para as eleições, apenas 5 semanas para o teste de reconhecimento popular dos que buscam a reeleição e a festa dos novos eleito peli sim das urnas…

Em Alta

Silveiras – A Prefeitura, que passa pelo período de pandemia como exemplo administrativo. Onde muitos prefeitos lamentam perdas, Guilherme Carvalho voltar a mostrar que o momento pode sim ser de conquistas. Nesta semana, o município conquistou uma nova estrutura para exames, entre eles o de raio-X, que recebeu investimento de R$ 162 mil para a locação de um aparelho. A proposta é atender a demanda e ser cada vez mais independente das cidades vizinhas. Para a população, um período de conquistas, principalmente quando comparado ao antecessor.

Em Baixa

Lorena – A luta de quem necessita dos auxílios do poder público durante a pandemia é feita de cada centímetro, quilo, centavo repassado. Mas essa parece não ser uma realidade para a bancada da Câmara, comandada pelo vereador que não sabe se vai ter de fato um lugar (visível) no palanque eleitoral de algum prefeiturável em Lorena. A emenda politiqueira, camuflada de “boa vontade”, que inviabilizou a terceira parcela do Auxílio Emergencial Temporário caiu mal na boa do povo, principalmente das 5.132 famílias, que dificilmente terão esse benefício.

 

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?