Política a conta-gotas…

Não jogam na defesa…

Antônio Mineiro

…ainda marcam gol contra – Não precisa ser expert para sacar que o prefeito Antônio Mineiro vai virar saco de pancadas daquela meia dúzia vereadores inconformados com o ‘final da mamata’ em Cachoeira Paulista.

De acordo com a patuleia, mesmo o grupo do prefeito sendo maioria em plenário, a primeira impressão é que não terão pegada para defender o governo.

Nesta primeira sessão, além de ‘mudos marcaram gol contra’ votando com a oposição no festival de requerimentos que vão ‘encher a paciência’ da administração. Há quem diga que esta faltando um preparador técnico para o time de Mineiro…


Leitura dinâmica

Uma consulta entre os cientistas políticos da região após completar um mês de novos e renovados mandatos, já foi possível uma leitura do que os eleitores podem esperar dos governos municipais:

Cachoeira Paulista – tem largada, mas não sabem se terá chegada;

Canas – ainda impera a lei do silêncio;

Lorena – muita gente no pódio, concentra mas não sai;

Cruzeiro – muito trabalho pela frente com dinheiro curto;

Guaratinguetá – o sonho ainda não acabou;

Pindamonhangaba – a cidade não pode parar e a oposição não deixa por menos;

Aparecida – cidade insaciável, credibilidade baixa;

Potim – o pior já passou, mas se não pegar pra valer a coisa desanda;

Piquete – adrenalina e ritmo acelerado;

Silveiras – ‘receita de bolo’, basta seguir no passo a passo;

Ubatuba – cadê o dinheiro dos financiamentos públicos?

Caraguá – a realidade que a maquiagem não esconde!

O império contra-ataca

Pelo teor dos requerimentos na primeira sessão de Câmara de Cachoeira, não precisa ser vidente para imaginar que o prefeito Antônio Mineiro não terá vida fácil com o Legislativo. Quem ouviu ou tomou conhecimento dos discursos de tribuna, se não conhecesse os personas da Motolândia que sobreviveram às urnas eleitorais, imaginam que em 30 dias de mandato o prefeito criou todos os problemas que eles criticaram. Perguntem ao incoerente Max Barros!!!

Terremoto

Corre na boca pequena de Cachoeira, se o prefeito Antônio Mineiro levar a sério reestruturação dos aluguéis dos boxes do prédio da Rodoviária Velha – região central da cidade – vai dar a repercussão de um ‘terremoto’, e o ‘epicentro sísmico’ vai ser na Câmara Municipal, quer dizer, no colo de um dos vereadores. Já que a meta é passar o município a limpo, na opinião de muitos é inadmissível alguém alugar praticamente todos os pontos comerciais locais pelo valor simbólico de apenas um…

O que muitos querem saber

O novo Conselho Municipal de Políticas para as Mulheres de Guaratinguetá, em processo de criação na administração do prefeito Marcus Soliva, vai resolver ou inibir a prática de assédio ao elenco feminino da Prefeitura, a exemplo do que andaram comentando pelos andares do Palácio de Vidro?

E por falar em mulheres…

…o prefeito Marcus Soliva avançou o layout da nova Secretaria, quer dizer, Conselho das Mulheres em reunião com as três vereadoras Alexandra Protetora (PL), Rosa Filippo (PSD) e Dani Dias (PSC) nesta semana. O projeto deverá ser proposto na primeira sessão de Câmara da atual legislatura, no dia 8.

Força-tarefa

Mesmo com a cidade fervendo em contradições com o primeiro decreto da nova administração que fechou Lorena na fase vermelha no combate ao coronavírus, o prefeito Sylvio Ballerini cumpriu agenda na última segunda-feira em duas secretarias de Estado: Habitação e Infraestrutura. Na força-tarefa, Executivo e Legislativo foram em busca de novas moradias no CDHU e a regularização do abastecimento de água e rede de esgoto em áreas de ocupação, em especial no Parque Rodovias. Para auxiliar nas apresentações e planejamento, o presidente da Câmara, Fábio Longuinho e seu vice Beto Pereira fizeram parte da comitiva. .

Três em um

Sylvio Ballerini

A patuleia política de Lorena terminou a semana questionando o prefeito Sylvio Ballerini pela edição de três decretos na mesma semana.

O que alguns entenderam como tentativas da Prefeitura em adequar as medidas do Estado na realidade local – preservando algumas atividades em funcionamento – outros porém, levaram cem por cento para o lado crítico, inclusive com manifestações.

Provavelmente faltou publicidade na pressão que Doria fez para forçar os municípios a segui-lo no Plano São Paulo – recorrendo a uma ameaça de ação judicial pela Procuradoria Geral.

Não convidem para…

….a mesma picanha – o grupo do vice prefeito de Pinda, Ricardo Piorino, os infiltrados de Fabiano Vanone na administração e por fim, o time de Felipe César, mesmo que o churrasqueiro seja o próprio prefeito Isael Domingues, com Rodeley Miotto alimentando a churrasqueira e lendo uma sentença judicial que requentaram de 2019!!!

Tour parlamentar

A semana foi movimentada para o vereador Herivelton Vela – do PT. Após estrear na primeira sessão ordinária da Câmara de Pinda, já embarcou na ponte aérea rumo à Capital Federal para um encontro com lideranças petistas na discussão dos interesses de seu público eleitoral, os metalúrgicos. Com isso, a especulação política do mercadão ficou em dúvida se este primeiro ‘tour parlamentar’ do vereador, correu pelos cofres do Legislativo ou do Sindicato, já que pelas redes sociais, Vela, embora vereador, foi tratar assuntos da categoria e depois deu um ‘rolê’ nos gabinetes dos deputados…

Resistência

Thales Gabriel Fonseca

A repercussão do decreto de Thales Gabriel colando Cruzeiro na fase vermelha, bem antes do plano Doria, digo, São Paulo, seguido da forma como ele atendeu os manifestantes contrários as restrições – com educação e respeito – na porta da Prefeitura, ultrapassou as divisas do município, tornando-se referência a outros prefeitos, inclusive o Saud de Taubaté.

A dificuldade que Thales enfrenta é com o índice de pacientes da região que tem sua estrutura de saúde como referência, porque o número de infectados da cidade diminuiu com suas medidas.

Circunstâncias

Isael Domingues

Os efeitos e críticas ao decreto do Estado em fechar mais uma vez a economia da região chegou também em Pindamonhangaba.

A exemplo de outros prefeitos, Isael Domingues tentava equacionar a liberação de alguns setores para funcionamento nestes dias de fase vermelha, quando foi surpreendido com a notícia de uma sentença condenatória, em cima da Prefeitura, por ter flexibilizado várias atividades no ano passado.

Mesmo assim, o prefeito recebeu em seu gabinete comerciantes e prestadores de serviços, mas por ‘obra e graça de João Doria’, nada pode ser feito…

 

Romeiro toma posse como conselheiro do CREA-SP

O engenheiro João Bosco Romeiro foi eleito como conselheiro do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Estado de São Paulo – CREA para um mandato de 3 anos, podendo ser renovado para 6 anos. A posse ocorreu no último dia 20, em solenidade no auditório do órgão, em São Paulo e, junto a ele, foi empossado o engenheiro Fernando Macedo como suplente.

Romeiro e Fernando foram convidados a participarem das eleições para o CREA SP, representando a AGEA-Associação Guaratinguetaense de Engenheiros e Arquitetos, através de sua diretoria representada por sua presidente a engenheira Vanessa Lucchesi.

Entre as atribuições do conselho está a fiscalização do exercício profissional do engenheiro e profissionais do sistema CONFEA/CREA.

Em Alta

Dois prefeitos – Isael Domingues (Pindamonhangaba) e Thales Gabriel (Cruzeiro), que jogaram abertos com a população antecipando a fase vermelha do combate a Covid-19 em seus respectivos municípios. A similaridade do aparelhamento da saúde pública motivou os gestores, cada um em suas realidades, a fecharem de forma consciente a economia, enfrentando rejeições, repúdios e até manifestações contrárias à medida. Em ambas as cidades o índice de ocupação hospitalar margeou os 100% e a resposta do Governo foi inferior ao esperado para manter os atendimentos.

Em Baixa

Lorena – Se depender de sua equipe de comunicação (ou algo que deveria ser uma), o prefeito Sylvio Ballerini deve ter muitas dificuldades em chegar aos olhos e ouvidos dos moradores. Enquanto a população questiona o que a Prefeitura planeja para amenizar os impactos da crise, que fecha portas no comércio e reduz o número de leitos disponíveis nos hospitais, a assessoria da Prefeitura mais parece preocupada em brincar de programa de entrevistas com secretários (que também ainda não entraram no ritmo de trabalho que a população espera). Como disse o outro: um simples celular com whats na mão do prefeito seria mais eficiente… e barato!

 

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?