Política a conta-gotas…

‘Bom pra cachorro…’

Isael e Ricardo

O prefeito de Pinda, Isael Domingues, com sua equipe de governo, fez o maior ‘auê’ na última sexta-feira com a inauguração do CEPATAS – Centro de Proteção e Atendimentos aos Animais, um complexo adaptado para cuidar da saúde dos bichos.

A euforia é porque mesmo a Prefeitura investindo mais de meio milhão na transformação do antigo Abrigo de Animais num moderno espaço de cuidados, atenção e carinho com animais de várias espécies, a oposição apostava ao contrário, dizendo que a obra não passava de movimentação eleitoreira.

Caso de polícia

Por pouco, o prefeito eleito de Cachoeira, Antonio Mineiro (MDB), não teve de judicializar o pedido da senha do Tribunal de Contas. Disseram que após três tentativas, o Edson Mota mandou liberar, assim mesmo depois que ficou sabendo que o delegado da Seccional estava pronto para entrar em ação.

Pior que imaginavam

O processo de transição na Prefeitura de Cachoeira está assustando mais os que estão entrando para a futura administração do que quem está saindo, e vai ter de prestar contas à Justiça. Mesmo que se ‘gritar pega ladrão não fica um’, tem gente custando se convencer que tudo que começa, um dia tem de terminar, principalmente em finanças públicas…

Promessa

Corre na boca pequena de Guará, que a sucessão do prefeito Marcus Soliva, em 2024, já está virando tema de novenas e promessas a Frei Galvão. Parece que um dos interessados em voltar ao comando da cidade prometeu ao ‘santo guaratinguetaense’ não pintar mais o cabelo até sentar novamente naquela famosa cadeira, agora no terceiro andar do Palácio de Vidro, na Chácara Selles…

Mau agouro

Marcus Soliva

E por falar em Palácio de Vidro, houve comemoração no gabinete pelas contas de 2017 do prefeito Marcus Soliva, aprovadas incialmente pelo Tribunal de Contas e, esta semana, por unanimidade na Câmara Municipal.

Enquanto isso, as viúvas que continuam sem ‘uma boquinha’ no poder público tiveram que ‘engolir em seco’, após a demonstração de ‘mau agouro’ em cima dos vereadores…

‘Cabeças vão rolar…’

Circula pela Praça São Benedito, de Aparecida, que o prefeito eleito Luiz Carlos de Siqueira – o Piriquito, está torcendo para a Dina Moraes em seu final de mandato exonerar além dos seus secretários, integrantes do segundo e terceiro escalões, ou seja, todos comissionados da Prefeitura. A medida facilitaria a ‘mega faxina’ que prometeu fazer na máquina pública. A previsão é de limpa total, e futuras contratações só para quem estiver de fato disposto a trabalhar, após passar pelo crivo da capacidade técnica…

Matemática da lógica

Com cinco votos declaradamente contrários, dificilmente o vereador Carlos de Moura, o Magrão, vencerá José Carlos Gomes – o Cal, na disputa pela futura presidência da Câmara de Pinda. Segundo os numerólogos do Mercadão, ainda que Magrão some com os três supostamente oposicionistas, quatro continuam sendo menos que sete votos. Lembraram que Cal se fortalece com as bênçãos do gabinete do prefeito Isael Domingues…

Despedida

O ainda vereador Felipe César (PV) se despede da Câmara de Pinda em alta, com aprovação de mais um projeto relevante, a regularização do serviço de motoboy e mototaxistas. Embora tenha decidido não concorrer mais ao Legislativo, Felipe deixa além de um legado de projetos relevantes que ao longo de seus vários mandatos defendeu e os aprovou, uma marca positiva na política de relacionamentos entre os poderes. Muitos admiradores ainda o esperam, quem sabe, na disputa por ‘voos mais’ altos…

Cara-crachá…

Mesmo no apagar das luzes de seu mandato de presidente da Câmara de Lorena, o vereador Mauro Fradique demonstrou que gastar o dinheiro público é com ele mesmo. Disseram que por estes dias contratou uma empresa pela ‘bagatela’ de R$ 150 mil para fazer o reconhecimento facial de quem entra ou sai da Casa de Leis. A indignação correu por conta dos funcionários efetivos do Legislativo, que há oito anos não têm sequer um reajuste no cartão alimentação…

Nem um, nem o outro…

Circula entre os bem informados de Guará que devido o impasse das candidaturas a futura presidência da Câmara, o nome do vereador Marcio Almeida – com experiência de três mandatos – é o que mais cresce como consenso para sucessão de Celão.

Prorroga mas não escapa

‘EnTão’

As expectativas pela decisão do Tribunal sobre as contas de 2017 do ‘enTão’ ex-presidente da Câmara de Lorena, prevista para esta semana, ao que tudo indica levou um empurrão para frente.

De acordo com o pessoal da esquina, a manobra – se é que teve – apenas prorroga o inevitável, mais uma ação no Ministério Público para investigar a provável ‘farra com o dinheiro público’ no perído em que a ‘tanga corria frouxa’.

Por pouco, mas por muito pouco, a rejeição de suas contas não saiu em tempo de constar no portfólio pessoal, para sua apresentação como um dos secretários, do futuro governo municipal.

Ficaria chique, hein…

Prazo de validade

A julgar pela repercussão do anúncio oficial do secretariado de Sylvio Ballerini nas rodas políticas de Lorena, entre os comentários de quem entrou e dos que ficaram para uma eventual ‘segunda chamada’, a maioria foi unânime em apostar que dois ou três com viés político não terão vida longa na futura administração. Ou por conta do ‘modus operandi’ na ‘vida pública’ que vai destonar da metodologia e conduta do próprio prefeito, ou por conflito de ‘QI’ – traduzindo: ‘quem indicou…’

Tragédia anunciada

O alagamento ocorrido esta semana nas imediações do bairro São João, em Canas, já estava sendo aguardado e profetizado por muitos na cidade. Desde que o prefeito Lucemir do Varal autorizou a remoção de um dique de contenção das águas pluviais que vinham da Dutra, sentido cidade – construído há mais de 30 anos pelo saudoso ex-prefeito Carlos Marcondes, para evitar enchentes – para dar lugar a um novo loteamento, a tragédia já estava anunciada. Perguntem ao Ademar Ligabo!!!

Diga não a “tiabetes”

Os devotos de São Benedito estressaram com a proibição dos docinhos na tradicional festa do Santo de Aparecida e da vizinha Guaratinguetá. Sorte do pessoal da terra de Frei Galvão, que na falta dos docinhos da Igreja, tem os da vereadora Tia Cleuza, que nas eleições distribuía geral. No Ponto Chique, o cafezinho mais politizado da Praça, ironizaram dizendo que a Justiça Eleitoral alertou: “a Tia Cleuza é prejudicial aos diabéticos…”

‘Macchia alla macchia!!!’

A primeira-dama, Cláudia Ballerini e os irmãos Sylvio e Humberto

Como previsto pelo mercado político de Lorena, a apresentação da equipe ‘inicial’ de governo do prefeito Sylvio Ballerini, aconteceu na última quinta-feira, nas dependências da Acial, sem causar empolgação.

Além dos secretários pautados em especialidades como Saúde, Obras, Agricultura, Administração, Assistência Social, Desenvolvimento Econômico e Finanças, as cores políticas do futuro Legislativo foram observadas nas pastas ocupadas por ex-vereadores, deixando claro que o Professor estabeleceu pontes de apoio e governabilidade com a Câmara, como um bom princípio de ‘lua de mel’.

Em Alta

Cachoeira – A futura administração de Antonio Mineiro (MDB), que bem antes de assumir e por descobrir que os cofres públicos estão totalmente vazios, já se mobiliza em buscar recursos no Estado e na União. Esta semana, Mineiro conseguiu junto ao deputado federal Marco Bertaiolli (PSD) a promessa de R$ 1 milhão para o primeiro semestre de seu governo. Também teve seu pedido de R$ 260 mil destinado à Apae chancelado pelo federal. Ainda em fase de transição, o futuro prefeito está buscando outros recursos para amenizar o caos da saúde municipal e poder reabrir a maternidade da Santa Casa local para garantir melhor atendimento à população no curto prazo.

Em Baixa

Lorena – A onerosa administração da Câmara Municipal, que sob a batuta do presidente Mauro Fradique (MDB) – pelo menos até o próximo dia 31, está se ocupando neste final de Legislatura a limpar os cofres da Casa de Leis com despesas e contratações questionáveis para não ter o que devolver à Prefeitura como sobra do duodécimo que somou este ano próximo a R$ 10 milhões. Um dos atos que deverá ser investigado pelo Ministério Público, em atenção a denúncia, é um sistema de captação, armazenamento e bombeamento de águas de chuvas, contratado no início da pandemia do coronavírus, aparentemente a um custo bem acima do convencional.

 

 

 

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?