Bastidores da Política

Impraticável
Magrão
Magrão

A Câmara de Pinda investiu parte do seu precioso tempo na última sessão para aprovar um projeto de lei do presidente da Casa, Carlos de Moura – o Magrão, que impõe multas e sansões para o estabelecimento que comercializar o conhecido cerol, bem como a linha chilena, por ser prejudicial e ameaçar a segurança de ciclistas e motociclistas.

Do ponto de vista de quem acompanha o trabalho dos vereadores da arquibancada, esta é mais uma lei que nunca terá sua eficácia, pela dificuldade de fiscalização no município e por não conseguir restringir quem se desloca a cidades vizinhas para comprar o produto.

Perguntem ao homem que afundou o ex-prefeito nas urnas!
Pagou pra ver
Celão
Celão

Quem acompanhou as articulações para eleição da presidência da Câmara de Guará, ocorrida esta semana, chegou a pensar num primeiro momento que o vereador Fabrício Dias (que disputou o cargo) com toda sua sapiência, acreditava de fato que na política, 4 poderia ganhar de sete.

Acreditando ou não, a triste realidade para o emedebista foi que Marcelo Coutinho – o Celão – continuará por mais dois anos no comando da Casa de Leis, pelo placar de 7 a 4.

Não convidem para…
…a mesma picanha o vereador Marcio Almeida e a turma de postulantes a vaga no Legislativo favoráveis ao aumento de cadeiras na futura Câmara de Guará, ainda que o churrasqueiro seja o jornalista Orville Teixeira, que mesmo conquistando mais de 1.500 votos, ficou de fora desta legislatura pelo fato de caber apenas onze no ‘bonde’…
Perguntar não ofende
Numa opção de três nomes disputando o PSL de Guará, já que o partido virou a ‘coqueluche’ dos militares da reserva, quem garante a legenda para prefeiturar em 2020: Cel Salomão, Cap Moura Brasil ou o Sub Fabrício da Aeronáutica? Cartas aos cuidados de Enéas Pasin…
Falta de simancol
Quem ouve aquele vereador de Lorena que ‘tropeça na fonética e troca de mão’, usurpar dos ‘louros’ da vitória do presidente da República, chega até pensar que se trata de um grande vulto político e que, o dono da bola, Jair Bolsonaro, sabe que ele existe.
Bem Viver
Osvaldo Negrão
Osvaldo Negrão

Corre na boca pequena de Pinda que o professor Osvaldo Negrão pode ter conseguido trazer os secretários e diretores do prefeito Isael Domingues para um debate na Câmara, só não conseguirá ver os problemas dos moradores do conjunto habitacional Bem Viver resolvidos, o que seria a finalidade do encontro.

Nesta semana, parte do ‘PIB’ da administração pública assinou o livro de presença na sede do Legislativo, em atenção ao requerimento de Negrão.

Além de várias justificativas, nada de extraordinário foi notado, exceto o palanque eleitoral do vereador, e que pode ‘dar efeito contrário’, caso as coisas continuem na mesma…

Movimentação jurídica
O Ministério Público de Guará está promovendo para os próximos meses uma das maiores movimentações jurídicas da história da Comarca. A proposta de ação civil pública acatada pelo magistrado Walter Emídio deverá movimentar advogados de dois ex-prefeitos, Junior Filippo e Francisco Carlos, de onze personalidades e duas autarquias da Terra de Frei Galvão, que estiveram envolvidos direta ou indiretamente no contrato do Saeg com a CAB. Segundo o mercado político local, a corrida advocatícia é para livrar seus clientes da devolução dos mais de R$ 245 milhões aos cofres público, conforme determina a ação…
Fora do alcance
Marcus Soliva
Marcus Soliva

Diante da ação civil pública que colocou integrantes das administrações Junior Filippo e Francisco Carlos na mira da Justiça, algumas viúvas dessas lideranças que permanecem ‘metralhando’ o atual governo municipal emudeceram diante do fato de Marcus Soliva não fazer parte da medida judicial.

Aliás, comenta-se entre os bem informados, que se os ex-prefeitos tivessem o zelo do atual, nem a CAB (hoje Guaratinguetá Saneamento), nem Saeg e muito menos os ‘terceiros de boa fé’ estariam sendo denunciados!!!

Passado e presente
Correu na boca pequena do circuito Silveiras-Cachoeira Paulista que uma visita inesperada de agentes do Tribunal de Contas e técnicos do Judiciário às respectivas prefeituras, deu novo mal estar no ‘homem com mais de 72 processos no lombo’. Talvez seja pela pesquisa que eles fizeram sobre como o transporte alunos – por intermédio de vans – funcionava no passado, na Terra dos Tropeiros e no presente, na cidade sede da Canção Nova…
Paga pra ser feliz
A medida da Prefeitura de Potim em ameaçar lacrar e interditar estabelecimentos comerciais da cidade que estiverem inadimplentes com a fazenda municipal, caso não atendam o chamamento para o acerto ou parcelamento das pendências, dividiu opiniões na cidade. Contrário é claro, os que somam grandes débitos e não manifestam ânimo em pagar as contas; favoráveis evidentemente, a maioria que além do desejo de ver os investimentos públicos acontecerem, entenderam que pra prefeita Erica Soler, não tem ‘a e nem b’, se deve, paga pra ser feliz…
Manda quem pode
Após receber recomendação do Promotoria, o presidente da Câmara de Aparecida, Marcelo Marcondes, casualmente sobrinho do ‘homem’, resolveu cancelar o concurso público que visava contratação de novos efetivos para o Legislativo. Pelas lentes da Justiça, os profissionais envolvidos na organização das provas tinham ou têm seus nomes ‘premiados’ em ações que tramitam nos tribunais, com suspeitas de irregularidades em procedimentos e improbidades.
Lei de Murphy
Como diz o ditado: “nada que não esteja ruim, que não possa piorar”. Pensando nisto, após as intempéries com a Justiça que levou o presidente da Câmara a cancelar o concurso público que visava compor o ‘cabidão’, digo, o funcionalismo do Legislativo de Aparecida, veio a nova ‘bomba’, e do mesmo endereço. No apagar das luzes da última quarta, o presidente Marcelo Marcondes recebeu notificação para que sejam exonerados todos comissionados contratados pela Casa de Leis. E quando a determinação fala de todos, isto inclui do porteiro ao jurídico.
Atendimento preferencial
Parece que na última quarta-feira, os ânimos de três vereadores da base governista de Cachoeira, ficaram exaltados por conta do ‘chá de cadeira’ que levaram na fila do atendimento no gabinete de Edson Mota. Após duas horas de espera, quando estavam para serem atendidos, chegou um ‘grupinho de quatro’, oriundos de Silveiras e, no fura fila, ganharam a preferência de atendimento. Disseram que a revolta dos vereadores Dimas, Nenê e Aldeci Baianinho foi notória e com juras de não mais frequentar a Prefeitura. Sabe como é… promessa de político…
Efeito 2020
Ainda nem baixou a poeira das eleições de outubro e a movimentação política para as municipais (que deverão ocorrer dentro de 702 dias) esquenta o clima em Lorena. Nomes como de Marietta Bartelega e Sylvinho Ballerini são citados em quase todas as rodas, seguidos de Renato Marton e Galão Aquino. Outro nome que voltou à ciranda eleitoral, com possibilidade de tentar a prefeitura, é o da médica Rita Marton. João Bosco Romeiro, que organizou uma das equipes mais atuantes desta eleição, também entrou em evidência. Romeiro reagrupou velhos companheiros e agregou novos adeptos para atuar possivelmente numa candidatura própria ou somar com algum nome de expressão. Ah! Sobre o Toto, que chegou à marca dos 10 mil votos pra deputado, declarou que continua sobre a orientação do prefeito Fábio Marcondes.
Movimento proativo
Um grande número de pessoas mesclado de amigos, políticos e empresários de Lorena, estão organizando sob o comando de um ‘governista’ um encontro denominado “VOLTA LUIZ”. A motivação, segundo um dos idealizadores, é gravar uma ‘live’ em meio às atividades esportivas do evento, para formalizar um apelo coletivo ao ex-vereador e secretário de Administração Luiz Fernando, para que retorne de Portugal (para onde se mudou com a família) e participe do próximo processo eleitoral. Claro que a ideia parece absurda para a ‘turma dos contras’, que assaltaram os cofres públicos da cidade num passado não muito distante…
Mensagem cifrada
Se hipoteticamente aquele prefeiturável, que por três eleições perdeu a parada, chegar se eleger com aquele ‘persona’ de vice, quanto tempo vai durar seu mandato? Ou seja, o vice manobra a cassação por decreto ou por voto? Quem ler, que entenda…Em Baixa
Cachoeira Paulista
– A bancada do prefeito Edson Mota na Câmara, que ainda tenta varrer para debaixo do tapete a situação da saúde municipal, contaminada pelo contrato com o Isec, condenado pela Justiça. O discurso emocionando do prefeito, que desfez o acordão com a OS no melhor estilo lulista do “eu não sabia”, tem sido repetido por vereadores que juram, sob o olhar do Monsenhor, que não tinham ideia da lama que os funcionários do setor foram metidos. Será que após o “porta na cara” eles mudam o roteiro?
Em Alta
Aparecida
– O Ministério Público de Aparecida, que está acabando com a farra de contratações no poder público da capital católica. A inquisição coordenada pelo MP tem desagradado nomes do Executivo e do Legislativo, com a ordem de exclusão do plantel de comissionados de gente que ocupava os cargos desde a época de Márcio Siqueira, e agora já desfalca o governo do Sargento Ernaldo. E na cidade tem gente esfregando as mãos, à espera do momento em que a “cruzada” chegar à Saúde…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>