Bastidores da Política

 

Vale quanto pesa

Numa certa roda de políticos comentaram que Cachoeira tem a Câmara mais cara da região. Disseram que a governabilidade lá segue a preço de ouro…

Efeito colateral

João Pita

Circula pelos cafezinhos de Guará que após desidratarem o PSB de João Pita – que ganhou a prefeitura na última eleição – para dar sobrevida ao PSC de Márcio Almeida, o partido abriu as portas para receber vários marinheiros de primeira viagem e alguns marujos experientes que sabem fazer contas de cociente eleitoral.

Ao que tudo indica, Pita vai ter em sua companhia no partido da pomba Marcelo da Santa Casa, Vantuir Farias, Darci do Bar e provavelmente Orville Teixeira, que somado a seis mulheres – sendo uma, com expectativa de ser a mais votada – e mais sete lideres completando a chapa.

Perguntar não ofende

Será que o presidente do Legislativo de Lorena, Maurinho Fradique, vai aceitar o desafio proposto pelo prefeito Fabio Marcondes – durante entrevista no rádio – de economizar R$ 1,2 milhão dos quase R$ 10 milhões que está recebendo para bancar os mais de 57 assessores, os vereadores, ‘às compras’, as viagens e demais ‘demandas’ da Câmara para num gesto nobre, repassar à Santa Casa?

Álcool em gel

Quem diria que uso de álcool em gel para ‘desinfetar as mãos’, que já fez muitos políticos bons de Lorena perderem votos e até eleição, seria recomendado e imposto como medida preventiva, principalmente aos pré-candidatos nesta temporada de caça aos votos.

Grupo de risco

É por falar em político de Lorena, em ritmo de coronavírus, tem candidato ligado a dois grupos de riscos simultaneamente: pela idade, onde a recomendação é enclausurar-se e evitar contatos e aglomeração de pessoas; e pela quantidade de ‘maus elementos’ e picaretas que estão sendo recebidos em campanha. A cena se repete, são muitos bandidos por metro quadrado em cima de um só palanque…

Dividindo o foco

Comentaram no balcão da Padaria Caravela, esta semana, que o único ao quebrar as atenções dos noticiários sobre coronavírus em Cruzeiro foi o vereador Paulo Vieira com suas bravatas eleitorais. Após os rumores do aumento do número de vereadores para próxima Câmara, o factoide de agora é a restruturação do seu partido PL, contratando ‘cabrito para vigiar a horta’ – com medo do efeito ‘Patrícia Batistela’ entre as eleitas em 4 de outubro…

Vagas limitadas

Ricardo Piorino

Com os ventos eleitorais a favor de Isael Domingues (PL) para 4 de outubro, seu palanque eleitoral vem se tornando naturalmente rota segura para reeleição e eleição de muitos políticos de Pinda, aumentando o trabalho de articulação do vice-prefeito Ricardo Piorino na composição dos partidos para acolhimento dos novos e conhecidos nomes.

Aliás, disseram que a consistência partidária em torno da candidatura à reeleição de Domingues, é de dar inveja a concorrência. Perguntem ao ‘Jardim’, quer dizer, Rosas!!!

Entrando e saindo…

Roderley Miotto

…pela janela O mês de abril está sendo aguardado com expectativas no mercado político de Pinda devido a dança dos partidos. Uma das eventuais mudanças que têm alimentado apostas nos bastidores é sobre o vereador Roderley Miotto, que deve deixar o desconforto do PSDB para a segurança de um dos partidos ligados à reeleição de Isael Domingues. Pela mesma janela que Roderley sai do PSDB, entra Ronaldo Pipas, que depois de trair Isael Domingues ao longo do mandato e por ultimo deixar Vito Ardito – o pagador de contas – só na promessa, pula no colo de Rafael Goffi.

Credo…

Análise de mercado

Parece que a simples observação dos palanques alheios no cenário eleitoral de Pinda foi o suficiente para ‘cair a ficha’ de alguns vereadores da base governista, que ainda que esteja difícil encarar os eleitores com as cores da reeleição do prefeito Isael Domingues, provavelmente com quem concorre a Prefeitura contra ele, as condições são piores. Pelo menos isso é o que se ouviu em algumas rodas políticas e até em velório nesta semana…

A partilha

Ventos de uma das candidaturas de Guará – aquela que está faltando candidatos e candidatas para completar a quantidade enorme de partidos que arrumou – dão conta que o desespero chegou em suas lideranças neste final da temporada de filiações. Se não bastasse o ‘fantasma’ do coronavírus limitando reuniões e encontros, para piorar a situação e o humor do candidato a prefeito da sigla, o assédio da concorrência buscando anuências para transferências de vários postulantes à Câmara que já estavam pré-definidos em seu palanque vem agravando sua disenteria. Perguntem ao homem da Rocinha…

Duas situações…

Rola pelas esquinas de Potim, que nos cálculos do grupo da prefeita Erica Soler, a eleição sem Zecão Angelieri é uma coi$a; com ele, a situação é outra, ou seja, mais difícil. Perguntem ao Tanaka, que torce para polarizarão…

A garantia soy yo!!!

Sylvio Ballerini

É voz corrente pelos quatro cantos de Lorena, a preocupação de muitos eleitores quanto ao grupo que Sylvio Ballerini arrumou para chamar de seu.

Ele, que postula pela terceira vez ser prefeito, teve sua ascensão de popularidade na primeira tentativa com o melhor grupo de sua trajetória; na eleição passada foi vítima daquilo que chamou de sua coligação e, apesar de bem votado, faltou musculatura para furar o bloqueio de Marcondes.

Para esta temporada, apesar de ser aliviado de um grupo apelidado de ‘malas sem alças’ – que foi para terceira via – abriu espaço para políticos e politiqueiros, que muitos deles, foram protagonistas do caos de 2012 – leia-se “cassa prefeito, volta prefeito”. A pergunta que não quer calar: “caso seja eleito, conseguirá concluir o mandato? Será cassado ou vai ter voz de comando?” Façam suas apostas…

 

Faxina

Parafraseando os cuidados com o coronavírus, um dos principais colaboradores da pré-candidatura da vice-prefeita de Lorena, Marietta Bartelega, orientou uma desinfestação em seu grupo, que vem sendo formado com várias adesões neste período conhecido como ‘janela eleitoral’ – onde políticos com mandato tem liberdade de mudar de partidos.

Pelo menos três figuras contagiadas pelo vírus da corrupção e com alto poder de dissimulação, segundo ventos dos corredores do Legislativo, tiveram seus nomes barrados.

Em Baixa

Base de oposição de Lorena – Pelo absurdo dos vereadores aliados à campanha de Sylvio Ballerini (PSDB), que passaram as últimas semanas criticando a Prefeitura na tribuna da Câmara pela suposta falta de recursos destinados à Santa Casa, sendo que o grande credor do hospital é o próprio governador João Doria, curiosamente ligado ao partido do prefeiturável. Pela construção do AME em 2016, o Estado está dando o calote de R$ 3,5 milhões, que seriam investidos em 10 leitos de UTI.

Em Alta

RMVale – Assim como em todo o país, se a crise da Covid-19 deixou algo mais claro é a necessidade de se reforçar a atenção a grupos essenciais para o bem estar da população. Profissionais da saúde, segurança e serviços primários têm se esforçado para manter a ordem e as condições dos moradores da região para lutar contra o coronavírus. Em municípios já descartados dos grandes planejamentos de governo em São Paulo e Brasília, é com a ação destes profissionais que a RMVale deve espantar a nova doença.

 

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?