Bastidores da Política

Os prós e os contras
Pelo andar da carruagem a repercussão da saída de Pinda do consórcio que integra o SAMU não repercutiu em bom tom no mercado político da cidade, fato que levou o prefeito Isael Domingues a ‘reunir o sinédrio’ para acalmar os ânimos da especulação, digo, dos vereadores pressionados pelos eleitores. Segundo os maledicentes, a substituição do SAMU que sempre gerou da sensação de credibilidade por uma terceirizada, supostamente com origem e destino limitado apenas do fato da emergência até a Santa Casa, ‘não rolou’, que pese o custo mensal de R$ 390 mil para permanecer no consórcio atual.

Municiado e preparado
Parece que a participação do observador político, Gustavo Tótaro, na vida pública de Pinda, está propensa a chegar na ‘passarela eleitoral’. Pelo menos são estes os comentários a partir da informação que ele está a frente do Partido Novo na cidade e com uma quantidade significativa de filiações. Como sempre, bem municiado de informações com ascendência a polêmicas, Tótaro é um nome a se considerar na articulação do novo grupo que está surgindo para as eleições de 2018 (se houver) e consequentemente as de 2020.

E por falar em 2020…
…cinco nomes circulam nas rodas políticas de Pinda, com vistas a sucessão de Isael Domingues. De acordo com os bem informados, além de Ricardo Piorino, o vereador Rafael Goffi já desfila como prefeiturável, seguido de Torino e provavelmente Luiz Rosas. Outro nome em perspectiva é do advogado Julielton Modesto de Araujo, ex vice da chapa de Rosas (na eleição passada), que agora segue carreira solo bem temperada com um acervo de denúncias contra o atual governo. Quem vier, verá!

Parafraseando Lula…
…”uma Câmara acovardada” – a população de Cachoeira já sacou que com os vereadores praticamente adormecidos (no quesito fiscalização do executivo), não vão se ‘mexer o corpo’ para conter o espírito megalomaníaco do homem da caneta que por onde passa, ‘nem capim nasce mais’. Segundo a especulação política, basta tirar uma linha de como ficou a cidade de Silveiras após o tsunami…

Rápido no gatilho
Quem acompanhou a sessão de Câmara de Guará da última terça-feira, percebeu que se fosse uma corrida, o presidente Marcelo Coutinho, o Celão, chegou primeiro que os vereadores Nei Carteiro e Fabrício da Aeronáutica na Vila Ofelha. Parece que quando a dupla chegou para ver os problemas do bairro, Celão já estava com requerimento de melhorias pronto para encaminhar ao prefeito Marcus Soliva para as devidas providências. Como prêmio de consolação, Fabrício e Nei tiveram a chance de votar na propositura, mas para fazer ‘a política de varejo’ com a população, dançaram. Perguntem ao líder Márcio Almeida!

Não convide para…
…a mesma picanha os vereadores Bruno Camargo e Elcinho Vieira, principalmente após a pressão do filho do Professor em cima dos colegas, que rejeitaram a possibilidade de estender os trabalhos da última sessão em descumprimento do regimento interno da Câmara de Lorena.

‘Seca Pimenteira’
O personagem ‘Zeca Pimenteira’ do Zorra Total foi relembrado na sessão de Câmara de Lorena da última segunda-feira. Tudo porque o vereador Maurinho Fradique, durante uma explicação pessoal ‘perdeu a mão’ direcionando críticas ao colega Fábio Matos, pelo fato da Secretaria Municipal de Esporte priorizar excessivamente o tênis de mesa em detrimento de outras modalidades com presença marcante na cidade. Segundo a turma da esquina, Maurinho demonstrou ‘olho gordo’ no trabalho da secretária Verinha, que segue 100% apoiada por Matos. Perguntem ao Cuca!

Oito ou oitenta
As últimas movimentações da Câmara de Lorena, contra a governabilidade do prefeito Fábio Marcondes começa a preocupar a classe pensante da cidade. Com os vereadores ‘novos’ (Careca e Lucia) agregados aos expertes (Longuinho, Fradique, Papa Defunto e Tão) sob o comando de Elcinho Vieira, muitos temem a ‘judicialização’ da Prefeitura, como manobra da oposição para ‘engessar’ a Prefeitura!

Volta ao passado em…
…menos de um ano O que se estabeleceu em quatro longos anos para colocar Lorena nos trilhos do desenvolvimento, traduzido em obras e benfeitorias à população, o atual ‘lado B’ da Câmara pode trazer de volta em menos de um ano, o período em que a população não sabia quem era o prefeito em exercício e os servidores a quem se reportar. Hora o comando paralelo do Legislativo tirava a ‘caneta’ do Dr. Paulo Neme, hora o retornava ao cargo. Tudo que a Prefeitura buscava fazer custava mais caro e não era concluído, além do quem, atendimento real apenas no portão do Doutor. Como escreve Ricardo do Vale Vivo: “do céu ao inferno em…”!

Fazendo omeletes sem…
…quebrar os ovos – A Câmara de Guaratinguetá proporcionou nesta terça-feira, mais uma oportunidade ao ex-prefeito Junior Filippo de explanar pela ‘milésima’ vez a origem, sequência e futuro da CAB (responsável pelo esgoto da cidade) após o período, digo, o aditivo franciscano no contrato da terceirizada. Auxiliado pelo engenheiro André Marques, presidente do SAEG no período da celebração do PPP – Parceria Público Privado – em 2009, Filippo buscou fazer o ‘omelete sem quebrar os ovos’, ou seja, esclarecendo que não foi o contrato original com a CAB que originou o endividamento contabilizado no Autarquia da Água, mas a gestão e o aditivo que pelo jeito, apenas um dos lodo ‘levou vantagem’, apesar dos valores.

A fila anda!
Ainda sobre a presença de Junior Filippo na Câmara de Guará, para explicar o ‘esquema SAEG’, ficou claro e evidente a necessidade do mesmo convite ao também ex-prefeito Francisco Carlos, já que a ‘coi$a’ zebrou no período de sua administração. Quem sabe, os vereadores – inclusive Nei Carteiro e o Sapiente, conseguem inspiração para formular perguntas mais contundentes, porque diante do Coronelzinho, parece que não tiveram o embalo esperado pela plateia. Pelo menos isto é o que se ouviu como repercussão da ‘noite de esclarecimentos’!

Balanço parcial
Comenta-se pelas esquinas e cafezinho de Cruzeiro, que o ex vice-prefeito Rafic Simão (PMDB), trouxe mais resultados administrativos à população em 60 dias de governo no passado, ao assumir o lugar de Ana Karin (quando afastada), do que o novo prefeito Thales Gabriel conseguiu realizar no mesmo período em seu atual mandato. De acordo com a patuleia, os números falam por si. Perguntem ao empresário que prepara nova candidatura em 2020!

Perguntar não ofende
Procede a informação que o Ministério Público poderá investigar os valores pagos por cestas básicas pela Prefeitura de Canas durante os meses de dezembro e janeiro, aproximadamente R$ 215 mil? Existe mesmo a possibilidade, pela quantidade, delas terem sido entregues no ano passado, entre junho a setembro?

Rádio Peão
Circulou pela Avenida Nossa Senhora do Bom Sucesso, com repercussão nos balcões e cafezinhos da rua Bicudo Leme, que um suposto ‘bafafá’ ocorrido nesta sexta-feira, na ‘casa de vidro’, pode deixar claro e evidente ao mercado político de Pinda, quem tem de fato a maior ascensão sobre os vereadores. Pelo que se ouviu por de trás das portas, o love entre o zero um e zero dois deu o primeiro sinal que o prazo de validade está praticamento vencido. Perguntem ao que manda ‘de fora’!

Mesa redonda

Vereador Roderley Miotto e o prefeito Isael Domingues na mesma mesa com representantes da Saúde municipal em busca de uma solução
Vereador Roderley Miotto e o prefeito Isael Domingues na mesma mesa com representantes da Saúde municipal em busca de uma solução

Dinheiro e logística foram as principais justificativas do prefeito Isael Domingues para dispensar o serviço do SAMU na remoção de pacientes para atendimentos emergenciais de Pinda. Como o plano ‘B’ da Prefeitura em operar o sistema através de ‘empresa genérica’, digo, similar, não convenceu boa parte dos vereadores e representantes dos órgãos municipais ligados à saúde pública, Domingues reuniu os parlamentares e quem de direito em seu gabinete está semana para estudar nova alternativa. A possibilidade de um novo consórcio com CISAMU – consórcio que integra o SAMU a parte do anterior que concentrava as ambulâncias na vizinha Taubaté, numa realidade econômica mais adequada e tendo Pinda como base operacional, não está descartada.

Controvérsia!?
O prefeito de Cachoeira Paulista, Edson Mota que iniciou sua gestão decretando estado de emergência financeira, segundo o mercado políticos, para contratar um escritório de advocacia da Capital, para cuidar de seus entraves jurídicos na justiça e, uma empreiteira para realizar obras no conhecido Educandário. Na contramão da realidade apregoada por ele mesmo, ou seja, falta de recursos, gastou em menos de 60 dias de administração, um ‘rio de dinheiro’ para fazer o carnaval e por fim, outro valor astronômico na festa de comemoração do aniversário do município, ocorrido nesta quinta-feira. Afinal, onde está a ‘emergência’ financeira? Disseram que ele andou se vangloriando pelas esquinas que pagou mais de R$ 20 milhões de dívidas!?!?!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>