Bastidores da Política

Chapa quente

Ernaldo Marcondes
Ernaldo Marcondes

Se depender dos vereadores de oposição, o prefeito afastado Ernaldo Marcondes não terá vida fácil, ainda que consiga liminar para voltar ao cargo.

Tramita na Câmara de Aparecida um pedido de abertura de CEI com a finalidade de investigar o milagre da ‘multiplicação na compra dos kits escolares’, denunciado na legislatura passada, entre um afastamento e outro do ex-prefeito Márcio Siqueira, em que Ernaldo, como vice, assumia a Prefeitura.

Parece que tem parlamentar com apetite para cassá-lo, independente dos rumos da Justiça…

Se Maomé não vem…

…à montanha, montanha vai a Maomé – Fazendo jus ao ditado, o prefeito Délcio Sato resolveu ir de encontro à população de Ubatuba, já que o eleitor periférico tem dificuldade em ir ao Paço Municipal para suas reinvindicações. Através do ‘gabinete itinerante’, Sato busca filtrar quase que pessoalmente as necessidades dos moradores que podem ser resolvidas pela administração pública. Numa leitura geral, os efeitos têm sido mais positivos que a crítica imaginava…

Folclore & política

A Câmara de Lorena retomou a temporada de sessões deste segundo semestre literalmente ao som de moçambique. A propositura de uma moção de aplauso ao grupo folclórico da cidade transformou o plenário num palco de apresentação da música e de cantorias típicas, que segundo a boca pequena, com a participação até de vereadores no batuque.

Contra, mas a favor

A votação do requerimento do vereador Piter da Vila Brito, pedindo explicações sobre a ocupação de uma área do Parque Rodovias – onde na visão paroquiana do bairro deveria ser uma praça, mas no lugar foi construído um depósito de materiais de construção – dividiu o plenário da Câmara de Lorena, mas foi aprovado por 8 votos a 7. O espetaculoso denunciado por receptação de veículo roubado discursou contrário ao requerimento (para fazer média com o empresário), mas votou favorável (para agradar o padre). A aprovação do requerimento à Prefeitura deverá ‘abrir os armários’ para explicar que a praça trata-se de um projeto futuro do prefeito Fábio Marcondes, e que sobre a área foi vendida ao empresário pela empresa Diamantina, ex-detentora do local.

Cara de paisagem

Enquanto o entre e sai dos oficiais de justiça na Prefeitura de Cachoeira revelam quase que semanalmente um ‘novo’ B.O. sobre a administração, a Câmara Municipal segue em seu silêncio absoluta, sem rumores de um requinte de investigação como resposta aos moradores, que indignados, absorvem as informações das esquinas e rodas políticas da cidade. Seria por esta razão que a imagem do Legislativo encontra-se tão desgastada na visão dos eleitores? Com a palavra, o presidente Dimas Barbosa!!!

De corpo presente

O prefeito Marcus Soliva fez questão de levar pessoalmente à Câmara de Guará o projeto que possibilita a redução dos precatórios trabalhistas de R$ 8 mil para o teto da referência salarial da previdência, cerca de quatro mil e oitocentos reais – valor que a Prefeitura tem de pagar de imediato quando acordado na Justiça do Trabalho. A ideia é dar um breque no fracionamento das ações trabalhistas, que a administração pública enfrenta como mais uma das heranças dos governos passados na Terra de Frei. Com a palavra, os nobres vereadores…

Rádio Peão

Não se trata de assunto isolado de dois ou três politiqueiros, mas ouve-se na maioria dos cafezinhos de Guará que o prefeiturável Junior Filippo não recearia receber o vice Regis Yasumura em seu grupo para a temporada de caça aos votos de 2020. Disseram que ninguém resiste a uma boa conversa, principalmente se for acompanhado do ‘abraço fatal’ do Coronelzinho.

Perguntar não ofende

Se o prefeiturável Sylvio Ballerini formalizar sua filiação no PSDB como está sendo esperado e profetizado no mercado político de Lorena, como ficará a situação futura dos vereadores eleitos em seu palanque – o PTB em 2016, principalmente se o pessoal do Fábio Marcondes estiver em condições definir sobre quem terá legenda no partido?

Estilo OLX – desapega

E por falar em futuras candidaturas em Lorena, parece que ‘os irmãos Metralhas’, que há anos desfalcam o erário público local e de outros municípios da região, caíram do caminhão de mudança, ou melhor, do palanque de Sylvinho Ballerini, com vistas a próxima eleição. Pelo zum zum zum das esquinas, numa outra faxina, outras figuras devem cair fora também, dado a aproximação de apoios mais consistentes…

História mal contada

Após os assustadores resultados do recente concurso público, a Prefeitura de Canas dá outro susto na população. Disseram que o prefeito ‘investidor’ buscou autorização do Legislativo para um empréstimo milionário (com o pretexto de obras – que ninguém sabe quais), que deverá comprometer as finanças até da próxima administração. Talvez isso explique o ‘entre e sai’ de vereadores no gabinete do homem nos dias…

Se chamar a esposa de…

…meu bem, a Justiça penhora – Disseram que está mais ou menos assim para o prefeito de Cachoeira e seus aliados no poder. O mês de agosto começou quente com mais uma penhora de bens. Desta vez com foco no que está no nome de Edson Mota, de um suposto laranja envolvido numa transação de locação de veículos, e até do ex-prefeito Rui Mendonça – envolvido e intimado a devolver mais de R$ 250 mil aos cofres públicos. Perguntem à doutora Gisely.

Silveiras urgente

A Câmara Municipal deverá decidir a saúde política da ex-prefeita Valdirene Mota na próxima sessão. Circula pelas mercearias e lanchonetes da cidade que as contas rejeitadas pelo Tribunal referentes a 2016 deverão ter o mesmo destino na avaliação dos vereadores, ou seja, se depender da maioria, ‘ficha suja’. Ah! Falaram também que as contas de 2015 do maridão, o Edson Mota, está voltando do julgamento de uma apelação, da mesma maneira que foi, com parecer contrário do TCE. Resumindo, o casal já pode se considerar ‘ficha suja’…

‘Proposta indecente’

A suposta proposta do vereador Paulo Vieira em querer ser o vice do prefeito Thales Gabriel para campanha à reeleição provocou uma onda de adjetivos no mercado político de Cruzeiro nos últimos dias. Além de mexer no ego de muitos postulantes à mesma vaga que se mantêm enrustidos dentro e fora da administração, a classe pensante da política local não soube responder se numa eventual casualidade da intenção de PV der certo, se ele segue até o final do mandato junto, para depois tentar ser prefeito; ou atropela o ‘anjo Gabriel’ no meio do caminho…

Duas forças

E por falar em futura candidatura a vice prefeito em Cruzeiro, o atual secretário de Desenvolvimento Econômico, Diego Miranda, desconversou a possibilidade de articular a vaga junto a Thales. Miranda disse que deve retornar ao Legislativo por entender que na Câmara (quem sabe como presidente) poderá dar maior contribuição num provável segundo mandato de Gabriel.

Boca pequena

Rola pela orla de Ubatuba, que dos seis candidatos que o prefeito Délcio Sato (PSD) enfrentou na eleição de 2016, apenas um deverá estar entre os concorrentes do ano que vem. Comenta-se que o ex-prefeito Eduardo Cesar (PSDB) está avaliando sua saúde eleitoral e partidária para concorrer e provavelmente em ‘partido novo’, para não levar uma ‘puxada de tapetes’, já que seu maior obstáculo tem trânsito livre com o governador tucano e seu vice Rodrigo Garcia, do PSD!!!

Investimentos

Délcio Sato
Délcio Sato

O prefeito Délcio Sato jogou pesado na mesa de negociação com a Sabesp, que busca a renovação do contrato por mais 20 anos de serviços de Ubatuba.

Municiado de planilhas de obras, pavimentações e vários projetos de expansão e desenvolvimento, Sato impôs à Companhia de Saneamento investimentos de R$600 milhões na cidade nos próximos 10 anos, como condição de avançar em uma nova concessão.

A repercussão foi imediata no mercado político, porque o valor da parceria foi o mais alto já registrado em prol do município.

Pai ou padrasto?

A oposição de Pinda que fez “a festa”, atribuindo ao prefeito a responsabilidade pelos supostos erros na organização do concurso público realizado último dia 4. Parece que é do conhecimento público que a empresa IUDS, que venceu no processo licitatório, foi a responsável pela organização e aplicação das provas. Mesmo assim, os vereadores tentaram “colocar na conta” de Isael o fato. A controvérsia foi que numa semana, os ‘4 Rs’ da Câmara tiraram proveito ‘como pai da criança’ com a abertura do concurso, e na seguinte, protagonizaram o ‘padrasto cruel’ tentando punir o enteado, porque não saiu bem na foto…

Em Alta

Ubatuba A administração de Délcio Sato tem enfrentado obstáculos, mas apostado em uma estratégia certeira: a aproximação com a população. Nesta semana, a Prefeitura voltou a colocar em prática o projeto do Gabinete Itinerante, com visitas à comunidade quilombola do Camburi, que abriga aproximadamente 1.200 moradores. O prefeito tem ainda recebido representantes de tribos indígenas, pescadores, além do atendimento diário à população, garantindo contato direto e assimilação da demanda municipal. Se há apontamentos do quê precisa melhorar na cidade, Sato vem demonstrando que, melhor que a visão dos “especialistas”, é a visão de quem realmente vive a cidade e a suas necessidades.

Em Baixa

Guaratinguetá – O grupo de vereadores de oposição, que, somados ao quase governista Marcelo da Santa Casa, conseguiu colocar em risco o trabalho que extinguiu a Arsaeg, em votação para a contratação de uma agência reguladora terceirizada. A escolha chegou ao empate em cinco votos contra e cinco a favor, cabendo ao presidente do Legislativo, Marcelo Coutinho, o Celão, o voto minerva, que garantiu vitória à bancada governista. Para o prefeito Marcus Soliva, um sinal de atenção, já que apostar no espirito de entendimento entre os vereadores pode ser estratégia arriscada. Um remédio? Acompanhar cada passo na avenida João Pessoa, já que em caso de congestão política, o efeito colateral cai no colo do Executivo, não de quem faz discurso populista…

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

× Como posso te ajudar?